Fonoaudiologia educacional: reflexões acerca da medicalização da educação

Marta Cecilia Rabinovitsch Gertel, Ana Claudia Tenor

Resumo


Introdução: Ao longo dos últimos anos, práticas fonoaudiológicas educacionais têm sido direcionadas para identificar alterações de linguagem e aprendizagem do aluno. Diversos profissionais têm debatido esse contexto que, em última instância, se reflete no fracasso escolar. Objetivo: refletir sobre o papel da fonoaudiologia educacional e o processo de medicalização na educação. Método: Pesquisa bibliográfica com uso das palavras chaves: fonoaudiologia educacional e medicalização da educação. Resultados: A escola é considerada promotora de oportunidades para a melhoria na qualidade de vida do cidadão. Para o aluno que não apresenta o desenvolvimento esperado resta o fracasso escolar cujas causas têm sido diagnosticadas por profissionais da saúde vistos como capazes de solucionar o problema. Conclusão: Ao longo dos últimos anos, trabalhos e publicações da área, apesar de uma proposta institucional, continuam a assinalar forte tendência de manter o olhar clínico na Escola. Iniciativas procuram incentivar outras possibilidades de atuação, com vistas a uma parceria junto aos professores e famílias, com ênfase na singularidade do processo de aprendizagem e no papel que a Escola exerce como instituição formadora de cidadãos, tanto na rede regular de ensino, como na educação especial. A atuação do fonoaudiólogo educacional requer conhecimento do contexto educacional e das particularidades da instituição onde está inserido. Só assim as ações a serem desenvolvidas poderão favorecer a cidadania e reverter benefícios para toda comunidade. Essa é a meta daqueles que pensam a Educação para além dos muros da Escola.


Palavras-chave


Fonoaudiologia; Linguagem; Educação; Medicalização

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.23925/2176-2724.2018v30i4p655-666

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.