Os Jogos Olímpicos Tóquio 2020: uma análise correlata com a pandemia da COVID-19 e a vacinação.

Autores

  • Thaina Pereira dos Santos Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP
  • Ana Paula Macedo Terra Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP
  • Diogo Medeiros Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP

DOI:

https://doi.org/10.23925/2526-6284/55552

Resumo

O presente artigo debruçou-se em analisar o evento esportivo mundial denominado Jogos Olímpicos, em sua edição Tóquio 2020, sob a perspectiva da pandemia do Novo Coronavírus, a qual impôs diversas barreiras sanitárias como obstáculo à ocorrência do evento, assim como acentuou as gritantes diferenças entre as nações participantes dos Jogos, no que tange ao avanço da vacinação dos atletas. A pesquisa foi realizada mediante a análise de textos históricos e de importantes conceitos jurídicos  presentes dentro do Direito Desportivo e do Direito Internacional, com objetivo de embasar os entendimentos alcançados. Os resultados alcançados foram o entendimento de que, tanto a historicidade dos Jogos, quanto seus pontos atuais contribuem para compreender os Jogos Olímpicos de Tóquio. Ademais, a vacinação dos atletas brasileiros, olímpicos e paralímpicos, não somente beneficia os mesmos, mas atinge toda a sociedade brasileira, e por consequência, atinge o Olimpismo. A Pandemia da COVID-19 abarcou gritantes complicações em diversos eventos, entre eles os Jogos Olímpicos, os quais pelo tamanho da sua escala, necessitam de uma análise mais profunda, ao que pese o avanço da vacinação e as diferenças entre as nações participantes dos Jogos, demonstrando a atualidade do tema no Direito Desportivo conjuntamente com o Direito Internacional.

 

Referências

-RUBIO, Katia. Agenda 20+20 e o fim de um ciclo para o Movimento Olímpico Internacional. Revista USP. São Paulo, n. 108. Janeiro/Fevereiro/Março de 2016.

-RUBIO, Katia. Os Jogos Olímpicos e a transformação das cidades: os custos sociais de um megaevento. REVISTA ELECTRÓNICA DE GEOGRAFÍA Y CIENCIAS SOCIALES. Universidad de Barcelona. Vol. IX, núm. 194 (85), 1 de agosto de 2005.

-MEIHY, Murilo. SOUZA, Luana. O esporte como ferramenta política e diplomática: o caso do boicote americano às Olimpíadas de Moscou (1980). Paralelas. FuLia/ UFMG, v. 2, n.3, set-dezembro, 2017.

-International Olympic Committee. Olympic Charter. 17 July 2020.

-CARDOSO, Gabriel. O Olimpismo: as bases de um pensamento universal. PODIUM: Sport, Leisure and Tourism Review, v.2 Páginas 137-151, 2013.

-International Olympic Committee. The Playbook International Federations: Your guide to safe and successful Games. February, 2021.

Downloads

Publicado

2021-09-28