Síndrome de Waadenburg: relato de caso

Patricia Soares Bellegarde, Marta Wey Vieira, Luciana Maria de Andrade Ribeiro, Cyntia Watanabe

Resumo


A síndrome de Waardenburg (SW) é uma genodermatose auditivo-pigmentária cuja prevalência se aproxima de 1:42.000 nativivos na população geral, apresentando distribuição universal e sem predileção por raça e gênero.1,2,3 É uma patologia de caráter autossômico dominante que apresenta penetrância e expressividade variáveis de seus caracteres.4 Na forma clássica é caracterizada por surdez congênita, deslocamento lateral do canto interno do olho (epicanto ou distipia cantorum), alterações dos cabelos e dos pigmentares da íris.1 Os afetados têm maior risco de fendas labial e palatina, defeitos no tubo neural, doença de Hirschsprung e anormalidades nos membros.2 Quanto ao diagnóstico, ele é clínico através da confirmação de dois critérios maiores ou um maior e dois menores.3 O gene PAX3 é o único associado à síndrome, sendo apenas utilizado para aconselhamento genético. Seu diagnóstico diferencial é feito principalmente com piebaldismo, albinismo, vitiligo e síndrome de Teitz.2 O presente trabalho apresenta um paciente masculino de 13 meses com diagnóstico de síndrome de Waardenburg tipo I. Ressalta-se a importância do diagnóstico precoce da síndrome para a estimulação adequada da perda auditiva, cuidados oftalmológicos e medidas preventivas para gestantes afetadas no aconselhamento genético.2,3

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.