Retalho do músculo reto abdominal transverso autonomizado em pacientes obesas e fumantes

Hamilton Aleardo Gonella, Decio Luis Portella

Resumo


Introdução: A reconstrução mamária foi difundida no fim da década de 1970 e no início da de 1980. Nas reconstruções mamárias realizadas por meio do retalho do músculo reto abdominal transverso (TRAM), principalmente em pacientes obesas e fumantes, ocorriam necroses parciais ou totais. Estudos experimentais contribuíram muito para minimizar a necrose, que chegou a cerca de 16%. Porém, nas obesas e fumantes, continuava alarmante o índice de necroses (75%). Alguns autores começaram a realizar embolização ou laqueadura das epigástricas inferiores. Objetivo: O objetivo deste trabalho foi apresentar como fazer a autonomização e seus resultados. Método: Estudo retrospectivo de 13 pacientes, nas quais se utilizou a técnica referida. Foram analisadas por meio dos métodos de Student e Tukey, apresentando sua significância. Resultados: Um paciente apresentou epidermólise. Discussão: Dessa forma, a autonomização propicia uma série de fenômenos que resultam, na maioria das vezes, após período de 10 a 21 dias, no aumento da vascularização local. Conclusão: As táticas cirúrgicas de autonomizar o TRAM e realizar a transposição após 15 dias mostraram-se eficazes.


Palavras-chave


mamoplastia; reto do abdomen; retalhos cirúrgicos; obesidade; hábito de fumar.

Texto completo:

PDF

Referências


DeBono R, Thompson A, Stevenson JH. Immediate versus delayed free TRAM breast reconstruction: an analysis of perioperative factors and complications. Br J Plastic Surg. 2002;55(2):111-6.

Ribeiro RD. Reconstrução da mama: seis anos de experiência do Núcleo de Cirurgia Plástica do Hospital Universitário Prof. Polydoro Ernani de São Thiago – UFSC [trabalho de conclusão de curso]. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; 2005.

Carramenha e Costa MA, Carriquiry C, Vasconez LO, Grotting JC, Herrera RH, Windle BH. An anatomic study of the venous drainage of the TRAM flap. Plast Reconst Surg. 1987;79(2):208-17.

Scheverien M, Saint-Cyr M, Arbique G, Brown SA. The arterial and venous anatomies of the deep inferior epigastric perforator and superficial inferior epigastric flap. Plast Reconst Surg. 2008;121(6):1909-19.

Mücke T, Borgmann A, Wagenpfeil S, Günzinger R, Nöbauer C, Lange R,, et al. Autonomization of epigastric flaps in rats. Microsurgery. 2011;31(6):472-8.

Lopes Filho R, Silva AL. Retalho transverso músculo cutâneo do reto abdome autonomizado e transposto para o tórax: avaliação da área de necrose: estudo experimental em ratos. Rev Soc Bras Ci Plast. 2005;20(1):46-9.

Groth AK, Campos ACL, Gonçalves CG, Silva RFC, Silva ABS, Greca FH, et al. Effects of venous supercharging in deep inferior epigastric artery perforator flap. Acta Cir Bras. 2007;22(7):474-8.

Bittencourt RC, Biondo-Simões ML, Paula JB, Martynetz J, Groth A. Influence of minoxidil on ischemic cutaneous flaps in rats. Acta Cir Bras. 2005;20(6):450-4.

Codner MA, Bostwick J III. Delay of the TRAM flap. Oper Tech Plast Reconstr Surg. 1994;1(1):22-7.

Wang HT, Hartzell T, Olbrich KC, Erdmann D, Georgiade GS. Delay TRAM flap reconstruction improves flap rehability in the obese patient. Plast Reconstr Surg. 2005;116(2):613-8.

Myers MB. Investigation of skin flap necrosis. In: Grabb WC, Myers MB, McDowell F, editors. Skin flaps. Boston: Little Brown; 1975. p. 3-10.

Myers MB. Attempts to augment survival in skin flaps: mechanism of the delay phenomenon. In: Grabb WC, Myers MB, McDowell F, editors. Skin flaps. Boston: Little Brown; 1975. p. 65-79.

Reinisch JF. The role of arteriovenous anastomoses in skin flaps. In: Grabb WC, Myers MB, McDowell F, editors. Skin flaps. Boston: Little Brown; 1975. p. 81-92.

Laurent B, Rouif M, Giordano P, Mateu J. Breast reconstruction with TRAM flap after selective embolization of the deep inferior epigastric artery (series of 69 patients). Ann Chir Plast Esthet. 2011;56(6):548-54.

Aboutanos SZ, Spino E, Blauchet NP. Angiographic delay: a viable alternative to surgical delay. Ann Plast Surg. 2012;68(6):562-7.

Trus TL, Collins ED, Demas C, Kerrigan C. Initial experience with laparoscopic inferior epigastric vessel ligation for delayed TRAM flap breast reconstruction. Arch Surg. 2007;142(4):362-4.




DOI: https://doi.org/10.5327/Z1984-4840201625392

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.