Comparação entre o risco social e o risco de cárie em famílias em situação de vulnerabilidade

Autores

  • Thaís Jensen Pontifícia Universidade Católica - sp
  • Milena Vieira
  • Carmen Sylvia Scutti FCMS/PUC-SP

DOI:

https://doi.org/10.5327/Z1984-4840201726899

Palavras-chave:

inquéritos de saúde bucal, cárie dentária, risco, fatores socioeconômicos, família

Resumo

Objetivo: Avaliar a associação entre risco social familiar (RSF), risco individual bucal e risco coletivo de cárie com as variáveis demográficas de adultos e crianças (famílias) de uma Unidade de Saúde da Família (USF) de Sorocaba, SP. Materiais e Métodos: Trata-se de uma pesquisa descritiva exploratória com análise quantitativa. A amostra do estudo foi constituída por crianças na faixa de idade de 6 a 12 anos, com maiores necessidades de tratamento odontológico, de ambos os sexos e com todos os componentes do núcleo familiar, cadastrados na USF da zona norte de Sorocaba. Obteve-se um total de 20 crianças participantes do estudo e com uma média de 4 componentes de seus núcleos familiares, totalizando 79 pessoas no final. Para a coleta de dados do presente estudo foram utilizados dois indicadores: o índice CPOD (dentes: cariados (C), perdidos (P) e obturados (O)) — instrumento epidemiológico — e a ficha para cadastramento de famílias (Ficha A) do Sistema de Informação da Atenção Básica (SIAB) — ficha com informações e dados do núcleo familiar. Resultados: Os dados coletados durante as visitas domiciliares foram agrupados e compilados em uma planilha confeccionada no programa Microsoft Excel, e em seguida foram calculados o escore familiar — de acordo com a escala de Coelho e Savassi — e o índice CPOD de cada indivíduo avaliado. Posteriormente, os dados foram examinados por meio da análise de variância de Kruskal-Wallis. Conclusão: A análise não mostrou diferenças significativas ao comparar os riscos de vulnerabilidade em relação ao CPOD médio das famílias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Thaís Jensen, Pontifícia Universidade Católica - sp

Aluna da Residência Multiprofissional da Área da Saúde da Família FCMS/PUC-SP

Milena Vieira

Aluna da Residência Multiprofissional da Área da Saúde da Família FCMS/PUC-SP

Carmen Sylvia Scutti, FCMS/PUC-SP

Tutora da Residência Multiprofissional da Área da Saúde da Família FCMS/PUC-SP

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Saúde da família: uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial. Brasília: Ministério da Saúde; 1997.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n.º 648, de março de 2006. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Peres MAA, Gesse HC, Marcenes W. Condições gengivais e periodontais associadas a fatores socioeconômicos. Rev Saúde Pública. 2001;35(3):289-93.

Baldani MH, Narvai PC, Antunes JLF. Cárie dentária e condições socioeconômicas no Estado do Paraná, 1996. Cad Saúde Pública. 2002;18(3):755-63.

Fernandes LCL, Bertoldi AD, Barros AJD. Utilização dos serviços de saúde pela população coberta pela estratégia de saúde da família. Rev Saúde Pública. 2009:43(4):595-603.

Gonçalves VB. Percepções de profissionais e usuários com relação à odontologia na estratégia de saúde da família [dissertação]. Piracicaba: Faculdade de Odontologia da Universidade Estadual de Campinas; 2011.

Cheachire LA, Cortellazi KL, Vasquez FL, Pereira AC, Meneghim MC, Mialhe FL. Associação entre risco social familiar e risco à cárie dentária e doença periodontal em adultos na estratégia de saúde da família. Pesq Bras Odontoped Clin Integr. 2013;13(1):101-10.

Coelho FL, Savassi L. Aplicação de escala de risco familiar como instrumento de priorização das visitas domiciliares. Rev Bras Med Fam Com. 2004;1(2):19-26.

Marmot M, Bell R. Social determinants and dental health. Adv Dent Res. 2011;23(2):201-6.

Peres KGA, Bastos JRM, Latorre MRDO. Severidade de cárie em crianças e relação com aspectos sociais e comportamentais. Rev Saúde Pública. 2000;34(4):402-8.

Malucelli A, Stein Junior A, Bastos L, Carvalho D, Cubas MR, Paraíso EC. Classificação de microáreas de risco com uso de mineração de dados. Rev Saúde Pública. 2010;44(2):292-300.

Cypriano S, Sousa MLR, Wada RS. Avaliação de índices CPOD simplificados em levantamentos epidemiológicos de cárie dentária. Rev Saúde Pública. 2005;39(2):285-92.

Siegel S, Castellan Jr, NJ. Estatística não paramétrica para ciências do comportamento. 2. ed. Porto Alegre: Artmed; 2006. 448f.

Brasil. Ministério da Saúde. DATASUS [Internet]. CPO-D Nacional, Região Sudeste, nos anos 1986, 1996, 2003 e 2010. [acesso em 4 mar. 2016]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/idb2012/g17.htm

Castellanos S, Marleyi C, Robles S, Alberto M, Montoya E, Harold J. Relación entre determinantes socioeconómicos, cobertura en salud y caries dental en veinte países. Rev Gerenc Polit Salud. 2015;14(28):161-89.

Petersen PE. The World Oral Health Report 2003: continuous improvement of oral health in the 21st century: the approach of the WHO Global Oral Health Programme. Community Dent Oral Epidemiol. 2003;31(Suppl1):3-23.

Pereira EF. Água em Sorocaba está dentro do padrão. Cruzeiro do Sul [Internet]. 15 ago. 2015 [acesso em 25 fev. 2016]. Disponível em: http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/632051/agua-de-sorocaba-esta-dentro-do-padrao

Aday LA. At risk in America: the health and health care needs of vulnerable populations in the United States. San Francisco: Jossey-Bass; 1993.

Pereira JG, Martins WRV, Campinas LLSL, Cheiri PS. Integração academia, serviço e comunidade: um relato de experiência do curso de graduação em Medicina na atenção básica no município de São Paulo. Mundo Saúde. 2009;33(1):99-107.

Meneghim MC, Koslowski FC, Pereira AC, Ambrosano GMB, Meneghim ZMAP. Classificação socioeconômica e sua discussão em relação à prevalência de cárie e fluorose dentária. Ciênc Saúde Coletiva. 2007;12(2):523-9.

Downloads

Publicado

2017-03-31

Como Citar

Jensen, T., Vieira, M., & Scutti, C. S. (2017). Comparação entre o risco social e o risco de cárie em famílias em situação de vulnerabilidade. Revista Da Faculdade De Ciências Médicas De Sorocaba, 19(1), 33–37. https://doi.org/10.5327/Z1984-4840201726899

Edição

Seção

Artigo Original