Sludge como fator de risco para prematuridade

Elizabeth Kazuko Watanabe, Paula Galhano Filler, Sérgio Otoboni Bordini, Mariana Vieira Bonomi, Nayara Sandhy Pacce, Rafael Hadade

Resumo


Introdução: O trabalho de parto prematuro (TPP) é um grave problema de saúde pública devido à elevada morbidade e mortalidade neonatal.Como fatores de risco,destacam-se o baixo nível socioeconômico,nutrição inadequada,extremos de idade,estresse físico e psicológico,tabagismo e drogas ilícitas.Intecorrências como incompetência cervival,placenta de inserção baixa,descolamento prematuro de placenta,polidramnio,gemelaridade, rotura prematura de membranas,história prévia de parto prematuro são causas obstétricas e ginecológicas. Dentre as infecções,a corioamnionite é uma das mais importantes.A prevenção e a predição da prematuridade têm sido alvo de pesquisas através de métodos clínicos, bioquímicos e ultrassonográficos. À ultrassonografia(US),a medida do comprimento de colo uterino com transdutor vaginal(TV) e a pesquisa do eco glandular endocervical auxiliam na predição do parto prematuro. Outro sinal ultrassonográfico que parece estar associado à infecção e à prematuridade é o sludge,um agregado espesso de partículas no líquido amniótico próximo ao orifício interno do colo uterino.A associação sludge e colo curto(menor que 25mm)aumenta o risco de TPP. Objetivo/Metodologia: apresentamos um caso de sludge em gestante com 16 semanas e antecedente de TPP. Relato de caso:TPDA,24anos,secundigesta primípara(natimorto com 29 semanas),realizou USTV devido a colo entreaberto ao toque vaginal e ao passado obstétrico. Ao exame,visualizou-se sludge e colo medindo 3,8cm de comprimento. Foi internada para tratamento com Clindamicina e Cefalexina via oral por 10 dias.Exames de urina I, hemograma e proteína C reativa normais na internação. Alta após 5 dias,com acompanhamento semanal e prescrição de progesterona 200mg via vaginal. Conclusão: o sludge é um sinal preditor de prematuridade.

Palavras-chave


sludge; prematuridade; eco glandular endocervival; comprimento de colo uterino

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba. ISSN eletrônico 1984-4840



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.