Relato de caso: transtorno afetivo bipolar

Autores

  • Carlos Von Krakauer Hübner Docente, Medicina, FCMS/PUC-SP
  • Edson Vinicius Milanello Acadêmico, Medicina, FCMS/PUC-SP
  • Maria Fernanda Moro Barbieri Acadêmico, Medicina, FCMS/PUC-SP
  • Marcelo Ricardo de Oliveira Barcelos Acadêmico, Medicina, FCMS/PUC-SP
  • Lucas Augusto Ayres Ribas Acadêmico, Medicina, FCMS/PUC-SP

Palavras-chave:

transtorno afetivo bipolar, mania, hipomania, depressão

Resumo

Introdução: O transtorno afetivo bipolar (TAB) é uma doença crônica e grave, marcada pela variância de episódios depressivos com episódios de mania ou hipomania, podendo haver sintomas psicóticos. É classificado em dois tipos, I e II. Sua etiologia é desconhecida, mas supõe-se que envolva influências genéticas e ambientais, variando a cada indivíduo afetado. As apresentações clínicas do TAB podem variar de episódios leves de depressão ou hipomania até episódios depressivos graves ou mania acompanhados ou não de sintomas psicóticos. Objetivos: Relatar o caso de um paciente internado na enfermaria da psiquiatria do Conjunto Hospitalar de Sorocaba que foi diagnosticado com TAB. Metodologia: As informações foram obtidas por meio de revisão do prontuário, entrevista com o paciente e revisão da literatura. Relato de Caso: Homem de 20 anos encaminhado do serviço hospitalar de Itapetininga após alteração de comportamento, heteroagressividade e alucinações auditivas. Conclusões: Transtorno depressivo maior, de ansiedade generalizada, de estresse pós-traumático e esquizofrenia são diagnósticos diferenciais. O episódio maníaco provoca prejuízo no funcionamento social, profissional e até necessidade de hospitalização. O risco de suicídio em pessoas com TAB é estimado em pelo menos 15 vezes o da população em geral. A taxa de não adesão ao tratamento no TAB é de 47%. A conduta terapêutica medicamentosa mais eficaz para a mania é a associação do carbonato de lítio com risperidona, já para a depressão bipolar o carbonato de lítio é a primeira escolha.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2016-10-07

Como Citar

Hübner, C. V. K., Milanello, E. V., Barbieri, M. F. M., Barcelos, M. R. de O., & Ribas, L. A. A. (2016). Relato de caso: transtorno afetivo bipolar. Revista Da Faculdade De Ciências Médicas De Sorocaba, 18(Supl.), 35. Recuperado de https://revistas.pucsp.br/index.php/RFCMS/article/view/29757