Uso clínico do strain rate na ecocardiografia sob estresse em paciente assintomática com fatores de risco para doença cardiovascular: relato de caso

Ivan Fernandes Filho, Pericles Sidnei Salmazo, Mônica Oliveira Bernardo

Resumo


O ecodopplercardiograma transtorácico é um exame de imagem de ampla aplicabilidade clínica que, apesar do requerimento de grande experiência do operador e de possibilidade de janelas acústicas ruins, permite a obtenção de muitas informações de maneira não invasiva, sem riscos de ionização para o paciente, com baixo custo. Quando realizado sob estresse físico ou farmacológico, torna-se uma opção com apropriada acurácia diagnóstica para investigação de isquemia miocárdica. Dentre os recursos disponíveis, o strain rate tem se mostrado útil na detecção de alterações incipientes da função sistólica segmentar, inclusive em pacientes portadores de hipertensão arterial sistêmica e doença arterial coronária. O presente trabalho demonstra o caso de uma paciente do gênero feminino assintomática que, após a submissão ao ecodopplercardiograma sob estresse farmacológico, apresentou hipertrofia do ventrículo esquerdo e strain rate alterado, mesmo sem alterações segmentares de motilidade miocárdica.


Palavras-chave


ecocardiografia doppler; ecocardiografia sob estresse; doença de artéria coronariana; hipertensão; isquemia miocárdica; fatores de risco

Texto completo:

PDF

Referências


Chen MY, Pope TL, Ott DJ. Basic radiology. 2ª ed. New York: Lange Medical Books/McGraw-Hill; 2011.

Camarozano A, Rabischoffsky A, Maciel BC, Brindeiro Filho D, Horowitz ES, Pena JL, et al. Diretrizes das indicações da ecocardiografia. Arq Bras Cardiol. 2009;93(6 Suppl 3):e265-302.

Otto CM. Fundamentos de ecocardiografia clínica. 5ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier Health Sciences Brazil; 2015.

Matos-Souza JR, Franchini KG, Nadruz Junior W. Hipertrofia ventricular esquerda: o caminho para a insuficiência cardíaca. Rev Bras Hipertens. 2008;15(2):71-4.

Cesar LA, Ferreira JF, Armaganijan D, Gowdak LH, Mansur AP, Bodanese LC. Diretriz de doença coronária estável. Arq Bras Cardiol. 2014;103(2 Suppl 2):1-59.

Oliveira JL, Barreto MA, Silva AB, Sousa AC. Ecocardiografia sob estresse em coronariopatia. Rev Bras Cir Cardiovasc. 2004;19(1):55-63. DOI: 10.1590/S0102-76382004000100011

Sanchez-Osella OF, Arraes WA, Cardoso RL, Melo MB, Carranza GP, Silva TB. Ecocardiografia sob estresse farmacológico com dobutamina em baixa dose associada a exercício isométrico e atropina precoce: relato da experiência com novo protocolo. Rev Bras Ecocardiogr Imagem Cardiovasc. 2013;26(2):98-104.

Abduch MC, Alencar AM, Mathias Jr. W, Vieira ML. Cardiac mechanics evaluated by speckle tracking echocardiography. Arq Bras Cardiol. 2014; 102(4):403- 12. DOI: 10.5935/abc.20140041

Simão AF, Precoma DB, Andrade JP, Correa Filho H, Saraiva JFK, Oliveira GMM, et al. Diretriz Brasileira de prevenção cardiovascular. Arq Bras Cardiol. 2013;101(6 Suppl 2):1-63. DOI: 10.5935/abc.2013S012

Gama GG, Mussi FC, Guimarães AC. Revisando os fatores de risco cardiovascular. Rev Enferm UERJ. 2010;18(4):650-5.

El Aouar LM, Meyerfreud D, Magalhães P, Rodrigues SL, Baldo MP, Brasil Y, et al. Relationship between left atrial volume and diastolic dysfunction in 500 Brazilian patients. Arq Bras Cardiol. 2013;101(1):52-8. DOI: 10.5935/abc.20130109

Sociedade Brasileira de Cardiologia. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia sobre Análise e Emissão de Laudos Eletrocardiográficos. Arq Bras Cardiol. 2009;93(3 Suppl 2):1-19.

Almeida AL, Gjesdal O, Mewton N, Eui-Young C, Teixido-Tura G, Yoneyama K, et al. Speckle-Tracking pela ecocardiografia bidimensional: aplicações clínicas. Rev Bras Ecocardiogr Imagem Cardiovasc. 2013;26(1):38-49.




DOI: https://doi.org/10.23925/1984-4840.2017v19i4a14

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba. ISSN eletrônico 1984-4840

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.