O encaminhamento de pacientes com dor musculoesquelética para o reumatologista é realizado corretamente?

José Eduardo Martinez, Caíque Moreira Campos, Caíque Souza Jorge

Resumo


Objetivo: O objetivo deste estudo foi determinar se o encaminhamento de pacientes com dor musculoesquelética crônica para o reumatologista é realizado corretamente. Método: Foram revistas as fichas de encaminhamento para reumatologia do Centro de Saúde Escola de Sorocaba (CSE). Apuraram-se os dados demográficos, clínicos e terapêuticos, os motivos de encaminhamento e a qualidade dos dados. Foram analisados se houve registro das variáveis mencionadas, o tempo de espera para consulta e a qualidade do preenchimento da ficha de encaminhamento. Resultados: Foram analisados 63 guias de referência e respectivos prontuários. A maioria deles é de pacientes do sexo feminino e da faixa etária entre 50 e 70 anos. Em relação às hipóteses diagnósticas, a maior prevalência nas mulheres foi de osteoartrite seguida de fibromialgia, e fibromialgia e artrite reumatoide entre os homens. Dezesseis pacientes não tinham hipótese registrada. A maior parte queixava-se de dor generalizada. Observou-se que um número importante de fichas de referência e prontuários não registrava os medicamentos nem as medidas não medicamentosas. Chamou a atenção o fato de que não houve nenhuma ficha ou prontuário considerado completo. Conclusão: O encaminhamento de pacientes com dor musculoesquelética crônica do setor primário para a especialidade reumatologia tem falhas importantes. 


Palavras-chave


dor crônica; reumatologia; atenção primária de saúde; encaminhamento e consulta.

Texto completo:

PDF

Referências


Merskey H, Bogduk N. Classification of chronic pain: descriptions of chronic pain syndromes and definitions of pain terms. Washington (DC): IASP; 2012.

Ranzolin A, Chiuchetta FA, Heymann RE. Dores musculoesqueléticas localizadas e difusas 2ª ed. São Paulo: PlanMark; 2017.

Siqueira JTT. Porque a dor é uma questão também de Saúde Pública. [Internet]. São Paulo: Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor; 2016 [acesso em 16 abr. 2019]. Disponível em: http://sbed.go.mk.com.br/lermais_materias.php?cd_materias=173&friurl=_-06112014---Porque-a-Dor-e-uma-questao-tambem-de-Saude-Publica-_

Breivik H, Collett B, Ventafridda V, Cohen R, Gallagher D. Survey of chronic pain in Europe: prevalence, impact on daily life, and treatment. Eur J Pain. 2006;10:287-333. https://doi.org/10.1016/j.ejpain.2005.06.009

Chiereghin A, Martinez JE. Análise das condições para diagnóstico de doenças reumáticas na atenção básica de saúde na cidade de Sorocaba‐SP. Rev Bras Reumatol. 2015;55(3):251-5. https://doi.org/10.1016/j.rbr.2014.04.008

Weed LL. Medical records, patient care, and medical education. Ir J Med Sci. 1964;39(6):271-82. https://doi.org/10.1007/BF02945791

McPhee SJ, Papadakis MA, Rabow MW, editores. Current medical diagnosis & treatment. New York: McGraw-Hill Medical; 2010.

Kennedy T, Regehr G, Rosenfield J, Roberts SW, Lingard L. Exploring the gap between knowledge and behavior: a qualitative study of clinician action following an educational intervention. Acad Med. 2004;79:386-93. https://doi.org/10.1097/00001888-200405000-00006

Kowacs PA, Twardowschy CA, Piovesan EJ, Wilkins AL, Bell MJ. General practice physician knowledge about headache evaluation of the municipal continual medical education program. Arq Neuropsiquiatr. 2009;67:595–9. https://doi.org/10.1590/S0004-282X2009000400004

Weiner SJ, Jackson JL, Garten S. Measuring continuing medical education outcomes: a pilot study of effect size of three CME intervention at an SGIM annual meeting. J Gen Intern Med. 2009;24(5):626-9. https://doi.org/10.1007/s11606-009-0902-3

Glazier RH, Dalby DM, Badley EM, Hawker GA, Bell MJ, Buchbinder R. Determinants of physician confidence in the primary care management of musculoskeletal disorders. J Rheumatol. 1996;23:351–6.

Gran JT, Nordvag BY. Referrals from general practice to an outpatient rheumatology clinic; disease spectrum and analysis of referral letters. Clin Rheumatol. 2000;19:450–4. https://doi.org/10.1007/s100670070004

Games-Nava JI, Gonzalez-Lopez L, Davis P, Suarez-Almazor ME. Referral and diagnosis of common rheumatic diseases by primary care physicians. Br J Rheumatol. 1998;37:1215-9. https://doi.org/10.1093/rheumatology/37.11.1215

Stainkey LA, Seidl LA, Johnson AJ, Tulloch GE, Pain T. The challenge of long waiting list: how we implemented a GP referral system for non-urgent specialist’ appointments at an Australian public hospital. Health Serv Res. 2010;10:303. https://doi.org/10.1186/1472-6963-10-303




DOI: https://doi.org/10.23925/1984-4840.2020v22i1a6

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.