Partos cesáreas: análise pela classificação de Robson x experiências de puérperas do Sistema Único de Saúde (SUS) assistidas no Hospital Santa Lucinda de Sorocaba-SP

Autores

  • Joe Luiz Vieira Garcia Novo
  • Maria Júlia Varges do Vale
  • Raísa Arantes de Arruda Zanoni

Palavras-chave:

gravidez, classificação de Robson, parto cesárea

Resumo

INTRODUÇÃO: O parto cesárea assumiu importância indiscutível e adequada para a resolução de uma série de condições obstétricas específicas, que requeiram a interrupção da gravidez como única maneira de preservar a saúde materno e/ou fetal. Devido a isto, nota-se o aumento exponencial de suas taxas mundiais. Contudo, a OMS declarou que este aumento não está relacionado intimamente com a redução da mortalidade materna e faltam-se estudos nos quais sejam relacionados os dados psicossociais da paciente a este tipo de parto. OBJETIVOS: Assim, o intuito desta pesquisa foi realizar estudo abrangendo os partos cesáreas realizados segundo a classificação de Robson, associando-o às experiências e/ou impressões das pacientes submetidas aos procedimentos cirúrgicos da maternidade do Hospital Santa Lucinda de Sorocaba (HSL), com o fito de planejar novos enfoques para a saúde da mulher brasileira. METODOLOGIA: Esta pesquisa, aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa Seres Humanos da FCMS-PUC/SP, foi um estudo documental, descritivo, com coleta de dados de 96 puérperas de parto cesáreas, no período de 01/08/2018 a 20/07/2019, através de questionário psicométrico tipo Likert e de dados de prontuários em estudo prospectivo, utilizando-se formulário próprio para as anotações dos dados colhidos. RESULTADOS: Após análises estatísticas realizadas por teste de Qui-quadrado para tabelas de contingência e correções mediante simulação de Monte Carlo, notou se que o cruzamento de dados entre Classificação de Robson e experiências das puérperas não obteve significância estatística, com valores na maior parte das vezes de p>0,05. CONCLUSÕES: Consequentemente, conclui-se que a classificação de Robson não possuiu relação de significância com as variáveis questionadas, no entanto, a classificação de Robson, quando desmembrada em seus quesitos constituintes - paridade, idade gestacional, início de TP, apresentação fetal e número de fetos –, apresenta extensa significância, demonstrando que experiências passadas influenciam fortemente na vivência e nas experiências presentes da gestação de cada mulher.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2019-12-02

Como Citar

Novo, J. L. V. G., Vale, M. J. V. do, & Zanoni, R. A. de A. (2019). Partos cesáreas: análise pela classificação de Robson x experiências de puérperas do Sistema Único de Saúde (SUS) assistidas no Hospital Santa Lucinda de Sorocaba-SP. Revista Da Faculdade De Ciências Médicas De Sorocaba, 21(Supl.). Recuperado de https://revistas.pucsp.br/index.php/RFCMS/article/view/46254