Acompanhamento da doença renal crônica na atenção primária à saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23925/1984-4840.2020v22i4a9

Palavras-chave:

Doença Renal Crônica, Atenção Básica, Atenção Primária à Saúde

Resumo

Objetivo: Avaliar a situação da atenção médica aos portadores de doença renal crônica (DRC) e detectar as possíveis barreiras existentes para esse cuidado na atenção primária à saúde (APS). Método: Pesquisa qualitativa com questionário estruturado, aplicado a médicos da APS, abrangendo aspectos demográficos e ligados à prática do atendimento a pacientes com DRC, em dois municípios do estado de São Paulo. Os dados obtidos foram cotejados em entrevista com nefrologista da atenção secundária. Resultados: Foram obtidas 42 respostas individuais, provenientes de 28 Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Os respondedores são predominantemente graduados no Brasil, do gênero masculino, com idade entre 26 e 64 anos e brancos. Atuam na APS há 9,8 anos, atendendo semanalmente menos que 10 pacientes com DRC. Respostas positivas dos profissionais referem-se a diagnóstico, educação e segurança em evitar agentes nefrotóxicos. Relatam dispor de ferramentas próprias para evitar a nefrotoxicidade e conduzir o tratamento da hipertensão arterial, mas a maioria (66,7%) não segue nenhuma diretriz para manejo da DRC. A APS não disponibiliza recursos educativos para acompanhamento de pacientes com DRC. Os principais elementos obtidos na atenção nefrológica secundária assinalam as seguintes discordâncias: referenciamento precoce, sobrecarga de agenda, prejuízo na contrarreferência e ausência de protocolos municipais. Conclusão: Para manejo dos pacientes com DRC, os profissionais da APS utilizam frequentemente recursos próprios e demonstram insegurança em aspectos específicos da doença. A APS não dispõe de ferramentas para capacitação dos profissionais e estabelecimento de protocolos locais. O matriciamento parece ser a estratégia da capacitação mais apropriada para essa situação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Referências

Pereira ERS, Pereira AC, Andrade GB de, Naghettini AV, Pinto FKMS, Batista SR, et al. Prevalence of chronic renal disease in adults attended by the Family health strategy. J Bras Nefrol. 2016;38(1):22-30. https://doi.org/10.5935/0101-2800.20160005

Alcalde PR, Kirsztajn GM. Expenses of the Brazilian Public Healthcare System with chronic kidney disease. Braz J Nephrol. 2018;40(2):122-9. https://doi.org/10.1590/2175-8239-jbn-3918

Chen TK, Knicely DH, Grams ME. Chronic kidney disease diagnosis and management. JAMA. 2019;322(13):1294. https://doi.org/10.1001/jama.2019.14745

Jager KJ, Kovesdy C, Langham R, Rosenberg M, Jha V, Zoccali C. A single number for advocacy

and communication—worldwide more than 850 million individuals have kidney diseases. Kidney Int. 2019;96(5):1048-50. https://doi.org/10.1016/j.kint.2019.07.012

Marinho AWGB, Penha AP, Silva MT, Galvão TF. Prevalência de doença renal crônica em adultos no Brasil: revisão sistemática da literatura. Cad Saúde Colet. 2017;25(3):379-88. https://doi.org/10.1590/1414-462x201700030134

Paula EA de, Costa MB, Colugnati FAB, Bastos RMR, Vanelli CP, Leite CCA, et al. Strengths of primary healthcare regarding care provided for chronic kidney disease. Rev Lat Am Enfermagem. 2016;24(0). https://doi.org/10.1590/1518-8345.1234.2801

Freitas MJR. Avaliação da Atenção à Pessoa Portadora de Doença Renal Crônica na Atenção Básica à Saúde e Profissionais de Saúde. 2017.

Pena PFA, Silva Júnior AG, Oliveira PTR, Moreira GAR, Libório AB. Cuidado ao paciente com Doença Renal Crônica no nível primário: pensando a integralidade e o matriciamento. Cien Saude Colet. 2012;17(11):3135-44. https://doi.org/10.1590/s1413-81232012001100029

Grill AK, Brimble S. Approach to the detection and management of chronic kidney disease: what primary care providers need to know. Can Fam Physician. 2018;64(10):728-35.

Bello AK, Ronksley PE, Tangri N, Kurzawa J, Osman MA, Singer A, et al. Quality of Chronic Kidney Disease Management in Canadian Primary Care. JAMA Network Open. 2019;2(9):e1910704. https://doi.org/10.1001/jamanetworkopen.2019.10704

Sperati CJ, Soman S, Agrawal V, Liu Y, Abdel-Kader K, Diamantidis CJ, et al. Primary care physicians’ perceptions of barriers and facilitators to management of chronic kidney disease: a mixed methods study. PLoS ONE. 2019;14(8):e0221325. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0221325

Scheffer M, Cassenote A, Guerra A, Guilloux AGA, Brandão APD, Miotto BA, et al. Demografia Médica no Brasil 2020. São Paulo, SP: FMUSP, CFM; 2020. p. 35-36.

Peralta CA, Livaudais-Toman J, Stebbins M, Lo L, Robinson A, Pathak S, et al. Electronic Decision Support for Management of CKD in Primary Care: A Pragmatic Randomized Trial. Am J Kidney Dis. 2020;76(5):636-44. https://doi.org/10.1053/j.ajkd.2020.05.013

Foti K, Chang AR. CKD Management in primary care: supporting systems change. Am J Kidney Dis. 2020;76(5):613-5. https://doi.org/10.1053/j.ajkd.2020.07.008

Litvin CB, Nietert PJ, Jenkins RG, Wessell AM, Nemeth LS, Ornstein SM. Translating CKD research into primary care practice: a group-randomized study. J Gen Intern Med. 2020;35(5):1435-43. https://doi.org/10.1007/s11606-019-05353-4

Greer RC, Liu Y, Cavanaugh K, Diamantidis CJ, Estrella MM, Sperati CJ, et al. Primary care physicians’ perceived barriers to nephrology referral and comanagement of patients with CKD: a qualitative study. J Gen Intern Med. 2019;34(7):1228-35. https://doi.org/10.1007/s11606-019-04975-y

Downloads

Publicado

2022-06-28

Como Citar

Pedroso, I. Q., Guerra, E. M. M. ., & Amorim, P. H. A. de. (2022). Acompanhamento da doença renal crônica na atenção primária à saúde. Revista Da Faculdade De Ciências Médicas De Sorocaba, 22(4), 178–184. https://doi.org/10.23925/1984-4840.2020v22i4a9

Edição

Seção

Artigo Original