A importância da adesão ao tratamento em pacientes com esquizofrenia

um relato de caso

Autores

  • Marcia Braga Cliquet Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde
  • Beatriz Casagrande Stenghel Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde

Palavras-chave:

Esquizofrenia, Recusa do Paciente ao Tratamento, Terapêutica

Resumo

Introdução: A esquizofrenia é uma síndrome crônica, de início precoce, que consiste em períodos de crise aguda, podendo ter delírios, alucinações e desorganização do pensamento, intercalados por períodos de remissão, com isolamento social, embotamento afetivo, anedonia e apatia. É um transtorno que impacta na qualidade de vida do paciente e das pessoas a sua volta, pois há progressiva deterioração das funções psíquicas do doente, gerando cada vez mais dependência de cuidados da família. O tratamento é formado pela terapia medicamentosa e psicossocial, que auxiliam no controle dos sintomas, sendo necessário para toda a vida. Entretanto, a não-adesão ao tratamento está presente em 50% dos pacientes e é influenciada por diversos fatores. Este relato tem como objetivo demonstrar os fatores e as consequências da baixa adesão ao tratamento na vida do paciente com esquizofrenia e de seus familiares. Relato de caso: Paciente, sexo feminino, 43 anos. Diagnosticada com esquizofrenia, com dificuldade de adesão ao tratamento via oral (VO), tendo abandonado a medicação diversas vezes. Teve internações prévias por surto psicótico, após ter cessado a medicação por conta própria. No Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), iniciou acompanhamento psiquiátrico e tratamento intramuscular, suspendendo a medicação VO. O caso mostra a dificuldade de adesão da paciente e torna visível a correlação entre a não adesão ao tratamento e a piora do quadro clínico, pois em todos dos momentos em que houve falha na adesão, a paciente apresentou piora dos sintomas e perceptível alteração no exame psíquico. Discussão: A esquizofrenia necessita de tratamento contínuo com antipsicóticos. A adesão medicamentosa é essencial para o sucesso do tratamento, uma vez que foi demonstrada uma forte relação entre a não adesão e recidivas ou persistência de sintomas. A falha na adesão é um dos principais fatores que determinam o prognóstico do paciente com esquizofrenia, pois quanto mais episódios de surtos, maior o comprometimento das funções psíquicas. Conclusão: A adesão medicamentosa é influenciada por diversos fatores que devem ser considerados no momento da prescrição do antipsicótico, para garantia de adesão do paciente. Por se tratar de um transtorno crônico cuja evolução pode ser modificada com o tratamento, avaliar e assegurar a adesão é fundamental para um tratamento eficaz, com menor número de recidivas e mais qualidade de vida. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-10-28

Como Citar

Cliquet, M. B., & Stenghel, B. C. (2022). A importância da adesão ao tratamento em pacientes com esquizofrenia: um relato de caso. Revista Da Faculdade De Ciências Médicas De Sorocaba, 24(Supl.). Recuperado de https://revistas.pucsp.br/index.php/RFCMS/article/view/59641