As Possibilidades de uma Imortalidade Psicossomática

Lorivaldo do Nascimento

Resumo


Esta pesquisa se propõe a uma análise dos conceitos escatológicos de ressurreição da carne e ressurreição do corpo, os quais são amplamente debatidos na teologia desde a segunda metade do século XIX. O modelo escatológico denominado clássico defende a imortalidade da carne enquanto o denominado da ressurreição na morte defende a imortalidade do corpo. Após uma breve abordagem sobre os pressupostos filosóficos e teológicos dos supracitados modelos, a pesquisa apresentará a hipótese teológica de uma imortalidade psicossomática. Em base ao princípio da relacionalidade, não apenas a alma, mas também o corpo é considerado como imortal. Ter uma alma significa para o homem estar relacionado a Deus; da mesma forma, ter um corpo significa estar relacionado com seu próximo e com a natureza. Na perspectiva cristã tanto a relação com Deus quanto a relação com os outros e com o mundo não morrem no homem, mas ao contrário, se constituem como matéria do próprio julgamento. Portanto, em base a esta hipótese teológica corpo e alma são imortais. A carne, por sua vez, morre, mas ressuscita conforme demostra a profissão de fé católica.

Palavras-chave


Escatologia; alma; carne; corpo; imortalidade

Texto completo:

PDF

Referências


AGOSTINO. Discorsi. [Tradução: Luigi Carrozzi]. Roma: Cittá Nuova, 1982.

BETTENCOURT, E. A vida que começa com a morte. 3 ed. Rio de Janeiro: Agir, 1963.

BLANK, R. Escatologia da pessoa. Vida, morte e ressurreição. São Paulo: Paulus, 2000.

BOFF, L. A ressurreição de Cristo a nossa ressurreição na morte. A dimensão antropológica da esperança cristã. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 1974.

BORDONI, M; CIOLA, N. Gesú nostra speranza. Saggio di escatologia. Bologna: Dehoniane, 1988.

COMPÊNDIO DO VATICANO II. 6 ed. [Conferência Nacional dos Bispos do Brasil] Petrópolis: Vozes, 1968.

DALEY, B. Origens da escatologia cristã. A esperança da Igreja primitiva. [Tradução: Paulo Siepierski]. São Paulo: Paulus, 1994.

DENZIGER, H. Compêndio dos símbolos, definições e declarações de fé e moral. [Tradução: José Marino Luz; Johan Konings]. São Paulo: Paulinas; Loyola, 2007.

FORTE, B. Teologia da história. Ensaio sobre a revelação, o início e a consumação. [Tradução: George Ignácio Maissiat]. São Paulo: Paulus, 1995.

GIROLAMO. Le Lettere. [Tradução: Silvano Cola]. Roma: Cittá Nuova, 1997.

GRESHAKE, G. Breve trattato sui novissimi. [Tradução: Giorgio Tron]. Brescia: Queriniana, 1978.

IRENEU DE LIÃO. Sobre as Heresias. [Tradução: Lourenço Costa]. São Paulo: Paulus, 1995.

LÉON DUFOUR, Xavier. “Corpo”. In: LÉON DUFOUR, Xavier (org). Vocabulário de teologia bíblica. 4 ed. [Tradução: Simão Voigt]. Petrópolis: Vozes, 1987.

MOLTMANN, J. Teologia da esperança. Estudo sobre os fundamentos e as consequências de uma escatologia cristã. [Tradução: Helmuth Alfred Simon]. São Paulo: Editora teológica, 2003.

ORIGENES. Contra Celso. [Tradução: Orlando dos Reis]. São Paulo: Paulus, 2004.

__________. Tratado sobre os princípios. [tradução: João Eduardo Pinto Basto Lupi]. São Paulo: Paulus, 2012.

PESCH, W. “Corpo”. In: BAUER, J. Dicionário de teologia bíblica. 3 ed. [Tradução: Helmuth Alfredo Simon]. São Paulo: Loyola, 1984.

POZO, C. Teologia dell'aldilà. [Tradução: Luigi Rolfo]. Roma: Paoline, 1970.

RAHNER, K. Teologia e antropologia. [Tradução: Hugo Assman]. São Paulo: Paulinas, 1969.

RATZINGER, J. Escatologia. Morte e vita eterna. 2 ed. [Tradução: Carlo Monari]. Assisi: Cittadella Editrice, 1979.

RONDET, H. Fins do homem e fim do mundo. [Tradução: Carlos Lopez de Mattos]. São Paulo: Herder, 1968.

RUIZ BUENO, D. Padres apologistas griegos. Madrid: biblioteca de los autores cristianos 1954.

RUIZ DE LA PEÑA, J. L. Lʹaltra dimensione. Escatologia Cristiana. [Tradução: Elisabetta Lasagna]. Roma: Borla, 1988.

__________________________. Teologia da criação. [Tradução José Ceschin]. São Paulo: Loyola, 1989. 245 p.

SCHILLEBEECKX. E. História humana. Revelação de Deus. [Tradução: João Rezende Costa]. São Paulo: Paulus, 1994.

SUSIN, L. C. Assim na terra como no céu: brevilóquio sobre escatologia e criação. Petrópolis: Vozes, 1995.

TEILHARD DE CHARDIN, P. Le coeur de la matière. Paris: Editions du Seuil, 1976.

_____________________________. O fenômeno humano. [tradução: León Bourdon e José Terra]. Porto: Tavares Martins, 1970.




DOI: https://doi.org/10.23925/rct.i92.38285

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista de Cultura Teológica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ISSN Online 2317-4307 | Impresso (descontinuada) 0104-0529

A Revista de Cultura Teológica e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/culturateo. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/culturateo.


A Revista de Cultura Teológica está:

Associada a:

Indexada em:

  Google Acadêmico

Presença em Bibliotecas: