O estatuto variável de construções com e sem Alçamento: uma abordagem sociofuncionalista

Autores

  • Sebastião Carlos Leite Gonçalves Universidade Estadual Paulista - UNESP; CNPq

DOI:

https://doi.org/10.1590/0102-445067241189655946

Palavras-chave:

Alçamento, Variação sintática, Sociofuncionalismo, Português brasileiro

Resumo

Constituintes argumentais de oração encaixada podem assumir comportamento típico de Sujeito ou de Objeto em uma predicação matriz, fenômeno conhecido como Alçamento. Sob perspectiva sociofuncionalista, discutimos o estatuto variável de construções com e sem Alçamento, sob a hipótese de que tais construções podem ser concebidas como variantes de mesma variável sintática. Independentemente de ajustes morfossintáticos prototípicos do Alçamento, analisamos dados de uma variedade falada do português brasileiro envolvendo casos de Alçamento a Sujeito. Na consideração de variáveis linguísticas e sociais, os resultados apontam, no condicionamento da regra variável: (i) maior produtividade de Alçamento de Sujeito a Sujeito do que de Objeto a Sujeito; (ii) maior relevância de variáveis semântico-pragmáticas; (iii) irrelevância de variáveis sociais. A conclusão é a de que um tratamento satisfatório do fenômeno sob perspectiva sociofuncionalista requer mesmo que critérios morfossintáticos sejam abrandados, em favor da inclusão de critérios discursivo-pragmáticos.

Downloads

Publicado

2018-05-06

Edição

Seção

Artigos