Consequências de duas definições de la langue no Curso de Linguística Geral de Ferdinand de Saussure

Autores

  • Maria Francisca Lier-De Vitto Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Faculdade de Filosofia Comunicação Letras e Artes/Departamento de Linguística/Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem/Divisão de Educação e Reabilitação dos Distúrbios da Comunicação - São Paulo - São Paulo

Palavras-chave:

objeto da linguística, duas definições de la langue, Saussure na Linguística, Saussure nas Ciências Humanas

Resumo

Este artigo nasce da constatação de que o pensamento do “pai da

Linguística” não rendeu no campo dos estudos linguísticos. Saussure é

mencionado como organizador de ideias sobre a linguagem, como quem

formulou famosas dicotomias, mas a novidade saussuriana , representa-

da por la langue – o objeto perene e universal da linguagem - não teve

incidência na produção linguística depois de Benveniste e Jakobson. Este

não foi o destino de Saussure em outras ciências humanas. Levi Strauss e

Lacan são exemplos maiores do impacto de Saussure fora de seu campo

próprio. Há, no Curso de Linguística Geral, duas definições de língua, de

certo modo conflitantes. Desenvolve-se, aqui, o argumento de que uma

delas está na base da leitura desvitalizante de Saussure e outra, aquela

que introduz o pensamento do negativo, vem como solo da produtividade

que pode ter em outros campos.

Downloads

Publicado

2019-02-06

Edição

Seção

Artigos