O letramento crítico na aula de língua inglesa

Autores

  • Clarissa Menezes Jordão Universidade Federal do Paraná
  • Francisco Carlos Fogaça Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.1590/delta.v28i1.5482

Palavras-chave:

letramento crítico, cidadania, ensino de inglês, escolas públicas

Resumo

Este artigo relata uma experiência de desenvolvimento de materiais didáticos para alunos de escolas públicas no sul do Brasil, em um projeto financiado pela SEED – Secretaria de Estado da Educação do Paraná. Os materiais foram pensados como recursos a serem utilizados pelos professores de acordo com suas necessidades locais, ao invés de constituírem-se simplesmente em um livro didático. A teoria subjacente ao projeto está baseada no letramento crítico e na concepção da língua como discurso, ou seja, uma língua repleta de valores culturais e ideológicos, os quais determinam significados e estabelecem relações de poder entre textos, entre leitores e entre textos e seus leitores, em sintonia com o conceito freiriano de palavramundo – “wor(l)d”. Os alunos leitores são, nesse sentido, coprodutores de significados e responsáveis por dar sentido à realidade. Esperamos que alunos e professores, que venham a utilizar os materiais que elaboramos, se tornem mais cientes de suas possibilidades como agentes e, desse modo, pretendemos estimular um sentido de cidadania ativa tanto em alunos quanto em professores.

Biografia do Autor

Clarissa Menezes Jordão, Universidade Federal do Paraná

Doutora em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês pela Universidade de São Paulo (2001), com pós-doutorado em globalização e estudos culturais na Universidade de Manitoba, em Winnipeg, Canadá (2007),

Francisco Carlos Fogaça, Universidade Federal do Paraná

graduado em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1982), mestre em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina (2005) e doutor também pela mesma universidade (2010)

Downloads

Publicado

2014-05-14

Edição

Seção

Artigos