GRAMATICALIZAÇÃO E METAFUNÇÕES DA LINGUAGEM: UMA ANÁLISE DA EXPRESSÃO É QUE

João Bosco Figueiredo-Gomes, Maria Medianeira de Souza

Resumo


Este trabalho objetiva apresentar os processos/mecanismos que caracterizam a emergência dos diferentes usos da expressão É QUE, correlacionando as metafunções da linguagem com o seu percurso de mudança linguística via gramaticalização. Esta investigação analisa, diacronicamente, dados amostrais de textos escritos do Português do Século XII ao XX. Os resultados empíricos parecem comprovar a hipótese da trajetória unidirecional OBJETO/ESPAÇO > TEXTO, resultantes da reanálise do uso original trecentista de é o que em É QUE. Em relação às metafunções da linguagem, o percurso de mudança do significado é: Ideacional (concreto) > Textual (textual-discursivo) > interpessoal (epistêmico).

Palavras-chave


gramaticalização; É QUE; metafunções da linguagem; modalidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/delta.v29i2.8624

Revista Delta-Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada ISSN 1678-460X