Distúrbios de fala e desordens do processamento auditivo: relato de caso

Karin Neves Ziliotto, Liliane Pereira Machado, Kátia Rabinovich, Jacy Perissinoto, Liliane Desgualdo Pereira, Brasília Maria Chiari

Resumo


Desordem do Processamento Auditivo pode ser definida como um distúrbio da audição, no qual há um impedimento da habilidade de analisar e/ou interpretar padrões sonoros (Pereira, 1997).
Processar as informações recebidas por meio da audição tem função importante no desenvolvimento de fala e de linguagem, e o prejuízo nesses mecanismos pode contribuir para problemas de aprendizado de fala, de leitura e de escrita.
O presente trabalho procura discutir a importância do diagnóstico das desordens do processamento auditivo (DPA), principalmente nos casos em que se apresentam queixas específicas de fala, com dificuldade de domínio do código oral e com o processo de alfabetização incompleto. Na apresentação de dois casos clínicos de crianças em idade pré-escolar com distúrbio da produção articulatória, envolvendo os fonemas /r/, /l/, / /, / /, pontuaremos as características de fala e linguagem oral que chama a tenção nos distúrbios articulatórios que envolvem DPA. Ambas foram submetidas aos procedimentos de avaliação audiológica básica, com resultados normais, e avaliação do processamento auditivo, revelando resultados alterados.

Palavras-chave


percepção auditiva, distúrbio articulatório, terapia fonoaudiológica.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.