De Simmel ao cotidiano na metrópole pós-urbana

Silke Kapp

Resumo


O presente artigo discute o ensaio de Georg Simmel, “As grandes cidades e a vida do espírito” com ênfase na contraposição entre metrópole e cidade pequena, sociedade capitalista e pré-capitalista. Inicialmente, delinea-se a perspectiva social e espacial de Simmel: a de um intelectual burguês em Berlim por volta de 1900. A segunda parte analisa a relação entre os fenômenos psíquicos evidenciados por Simmel e o contexto mais amplo em que ele os insere, retomando elementos da Filosofia do Dinheiro e mostrando que a metrópole a que Simmel se refere equivale ao que Lefebvre chamará de “espaço abstrato”. A parte final procura compreender o que resulta da dissolução dessa metrópole ou de seu espraiamento ao espaço em geral.

Palavras-chave


Simmel; indivíduo; espaço abstrato; cultura urbana; cotidiano

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/14762

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio: