Considerações sobre políticas de requalificação das Zeis com participação dos habitantes: limites e desafios para as áreas metropolitanas no Brasil

Autores

  • Elena Tarsi Centro de Estudos Sociais, Coimbra, Portugal

Palavras-chave:

assentamentos informais, planejamento participativo, ZEIS, Brasil

Resumo

A segregação è um fenômeno estrutural da formação da cidade brasileira que depende de razões históricas e dinâmicas econômicas globais. A gestão dos assentamentos informais das metrópoles representa um dos maiores desafios da contemporaneidade. Depois de apresentar algumas análises críticas sobre o processo de formação da cidade informal no Brasil, o artigo descreve os resultados da elaboração do Plano de Bairro para Nova Constituinte na cidade de Salvador da Bahia. Este programa piloto tinha o objetivo de contribuir ao processo experimental de determinação de políticas públicas  para a gestão e requalificação das ZEIS: as considerações sobre limites e desafios são interessantes para toda América Latina.

Biografia do Autor

Elena Tarsi, Centro de Estudos Sociais, Coimbra, Portugal

Elena Tarsi è arquiteta, PhD em Projecto Urbano, Territorial e Ambiental para o Departamento de Planeamento Urbano e Territorial da Universidade de Florença – Itália. Colabora a anos as actividades de pesquisa e formação do LabPSM – Laboratório Cidade e Território nos Países do Sul do Mundo – coordenado pelo professor Raffaele Paloscia. Ocupa-se do estudo das dinâmicas de formação e transformação do sistema urbano e das cidades e metrópoles brasileiras com particular atenção as temáticas da exclusão urbana, da cidade informal e das politicas de requalificação urbana e ambiental e de inclusão social das áreas informais. Actualmente è bolsista de pós-doutoramento no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra no Núcleo de estudos sobre Humanidades, Migrações e Estudos para Paz, com uma pesquisa comparada sobre a segregação espacial das cidades brasileiras e portugueses.

Downloads

Publicado

2015-11-22