Pobreza e mobilidade de renda nas regiões metropolitanas brasileiras

Autores

  • Lilia Montali Pesquisadora do Núcleo de Estudos de Políticas Públicas da UNICAMP e Pesquisadora do CNPq
  • Luiz Henrique Lessa Pesquisador do Núcleo de Estudos de Políticas Públicas da UNICAMP

Palavras-chave:

pobreza, desigualdade, mobilidade de renda, metrópoles

Resumo

A questão da pobreza tem sido um dos principais temas na agenda pública da política brasileira e integra compromisso com as Metas do Milênio firmado no ano 2000. A pobreza entendida como resultante de carências múltiplas vem se reduzindo enquanto resultado de um conjunto de políticas sociais e da retomada do crescimento econômico. O objeto deste ensaio é interrogar se a mobilidade de renda observada entre 2001 e 2012 (série Pnad-IBGE) é acompanhada de melhora em algumas das dimensões que possibilitam a elevação da condição de vida da população nas regiões metropolitanas e de mudanças que permitam a discussão de mobilidade social. Constatou-se a mobilidade de renda, quando parcelas da população metropolitana se deslocam dos dois primeiros decís de renda per capita domiciliar para os subsequentes, e a persistência dos hiatos de acesso ao emprego, educação, saúde e serviços urbanos.

Downloads

Publicado

2016-06-17

Edição

Seção

Artigos Complementares