Em busca do sentimento da paisagem

Autores

  • Margareth Afeche Pimenta UFSC

Palavras-chave:

paisagem, sentimento, natureza, Humboldt, Carus

Resumo

Entre aproximações e distanciamentos, o sentimento da paisagem (stimmung) resulta de um longo debate que coloca em questão a racionalidade definitiva do mundo. A conflitualidade latente entre razão e emoção leva Kant a admitir a possibilidade da apreensão suprassensível da natureza. Sulzer e Herder alinham-se com ressalvas nessa direção, reconhecendo a existência de prazer ou excitação, provocados a partir da interação exterior. Carus, a partir de então, refere-se diretamente ao sentimento da paisagem, apoiado em influências cruzadas de Goethe e Humboldt. Este artigo pretende acompanhar essa trajetória de elaboração conceitual, reconhecendo à pintura a capacidade de suscitar, em Carus, o estímulo para a apreensão sensível do mundo.

Biografia do Autor

Margareth Afeche Pimenta, UFSC

Professora do Curso de Arquitetura e Urbanismo e da Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Santa Catarina. Coordenadora do Núcleo de Pesquisa Cidadhis_CNPq. Arquiteta e Urbanista, formada pela FAU-USP. Mestre em Planejamento Urbano e Regional, COPPE-UFRJ. Doutora pela Universidade de Paris IV-Sorbonne.

Downloads

Publicado

2016-10-28