Conexões Brasil-China: a migração chinesa no centro de São Paulo

Autores

Palavras-chave:

migração chinesa, rotas comerciais, Brasil-China

Resumo

A partir da abertura econômica da China em 1979, vem se constituindo uma dinâmica socioeconômica que liga centros atacadistas entre China e Brasil através de fluxos comerciais e de mobilidades migratórias. São rotas que abastecem mercados populares e envolvem uma constante circulação de pessoas, sobretudo, entre São Paulo, Guangzhou e Yiwu. Este artigo discute o estabelecimento dos migrantes chineses no comércio popular do centro de São Paulo, através das galerias e da “feira da madrugada” nas regiões da 25 de Março e do Brás, atualmente o maior centro distribuidor do País de mercadorias importadas diretamente da China. Trata-se não apenas de localizar um processo migratório no espaço, mas de como este afeta a reestruturação das localidades ao promover a articulação de dinâmicas socioeconômicas transnacionais.

Biografia do Autor

Carlos Freire da Silva, Universidade de São Paulo - FFLCH - Depto. de Sociologia

Pós-doutorando do depto de Sociologia (FFLCH-USP). Bolsista da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo

 

Downloads

Publicado

2018-04-16