Metrópoles em tempos de pandemia: mapeando territórios subversivos nas RMSP e RMRJ

Autores

  • Marcos Thimoteo Dominguez Universidade Federal do ABC, Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas; Laboratório de Estudos e Projetos Urbanos e Regionais. São Bernardo do Campo, SP/Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8854-4031
  • Jeroen Johannes Klink Universidade Federal do ABC, Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas; Laboratório de Estudos e Projetos Urbanos e Regionais. São Bernardo do Campo, SP/Brasil. https://orcid.org/0000-0001-6264-001X

DOI:

https://doi.org/10.1590/2236-9996.2021-5204

Palavras-chave:

Covid-19, periferias urbanas, redes sociais, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, Região Metropolitana de São Paulo

Resumo

O presente artigo analisa os atravessamentos gerados pela Covid-19 no cotidiano das periferias das metrópoles do Rio de Janeiro e de São Paulo. A crise evidenciou problemas estruturais que o planejamento convencional tende a obscurecer, desnudando os limites que o Estado e o capital possuem em oferecer soluções a eles. Os resultados apresentados demonstram uma relação entre a dinâmica socioespacial da Covid-19 e a estrutura hierarquizada da cidade. Partindo de provocações em torno do “planejamento subversivo”, incorpora-se a dialética entre os espaços de representação e as representações do espaço (Lefebvre), identificando práticas populares e redes territoriais acionadas nas periferias, que tanto amenizaram os impactos da pandemia como permitiram ampliar o alcance das políticas urbanas e dos serviços de saúde.

Downloads

Publicado

2021-08-22