Porto Alegre como máquina de crescimento: a produção habitacional recente na metrópole

Autores

  • Mario Leal Lahorgue Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Geociências, Departamento de Geografia. Porto Alegre, RS/Brasil. https://orcid.org/0000-0001-9223-5154
  • Paulo Roberto Rodrigues Soares Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Geociências, Departamento de Geografia, Programa de Pós-Graduação em Geografia. Porto Alegre, RS/Brasil. https://orcid.org/0000-0002-3262-768X
  • Heleniza Ávila Campos Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Arquitetura, Departamento de Urbanismo, Programa de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional. Porto Alegre, RS/Brasil. https://orcid.org/0000-0002-2789-3887

DOI:

https://doi.org/10.1590/2236-9996.2022-5413

Palavras-chave:

produção habitacional, máquina de crescimento, mercado imobiliário, Porto Alegre

Resumo

A produção de habitação nas metrópoles brasileiras apresenta vinculação à expansão e ao fortalecimento do setor imobiliário nos espaços urbanos, muitas vezes independentemente dos ciclos econômicos do País. Porto Alegre não foge ao padrão brasileiro; entretanto, este artigo verifica a hipótese de Molotch, denominada “Máquina de Crescimento”. Para isso, examina e discute a dinâmica imobiliária e a construção habitacional na última década na cidade de Porto Alegre. Utilizam-se como referência dados do Sinduscon-RS, além dos dados sobre a produção habitacional do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) entre 2009 e 2020. A partir da hipótese, demonstra-se a importância que os setores ligados à dinâmica imobiliária têm na produção do espaço na cidade.

Publicado

2022-05-22