Gestão neoliberal da precariedade: o aluguel residencial como nova fronteira de financeirização da moradia

Autores

  • Isadora de Andrade Guerreiro Universidade de São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Departamento de Projeto, Grupo de Disciplinas de Planejamento Urbano e Regional. São Paulo, SP/Brasil. https://orcid.org/0000-0001-7400-0642
  • Raquel Rolnik Universidade de São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Departamento de Projeto, Grupo de Disciplinas de Planejamento Urbano e Regional. São Paulo, SP/Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6428-7368
  • Adriana Marín-Toro Universidade de São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo. Grupo de Disciplinas de Planejamento Urbano e Regional. São Paulo, SP/Brasil. https://orcid.org/0000-0002-3521-6499

DOI:

https://doi.org/10.1590/2236-9996.2022-5401

Palavras-chave:

Financeirização da moradia, Aluguel residencial, Senhorios Corporativos, Parcerias Público-Privadas, Informalidade

Resumo

A ascensão do aluguel como forma de acesso à moradia tem sido observada atualmente na América Latina, inserida em um contexto de inflexão neoliberal das políticas sociais, financeirização e mercantilização do território popular. Senhorios corporativos vinculados a gestores financeiros globais operam, no mercado residencial, através de plataformas digitais, concentrando a extração de renda de aluguel dispersa, com grande alcance e flexibilidade normativa. Já, no lucrativo mercado imobiliário popular, o aluguel informal é alimentado por remoções, despejos e uma nova geração de políticas públicas de moradia de aluguel: seja através de Parcerias Público-Privadas, seja com a introdução de vouchers, que articulam mercados residenciais populares informais às finanças, impactando territórios populares e redefinindo a moradia como serviço.

Downloads

Publicado

2022-05-22