Governança neoliberal em territórios minerários: o investimento social privado na RMBH

Autores

  • Junia Maria Ferrari de Lima Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Arquitetura, Departamento de Urbanismo. Belo Horizonte, MG/Brasil.
  • Renato Barbosa Fontes Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Arquitetura, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo. Belo Horizonte, MG/Brasil.
  • Léa Guimarães Souki Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Instituto de Ciências Sociais, Programa de Pós- -Graduação em Ciências Sociais. Belo Horizonte, MG/Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.1590/2236-9996.2022-5408

Palavras-chave:

Cidades Minerárias, Investimento Social Privado, Organizações da Sociedade Civil, Região Metropolitana de Belo Horizonte, Governança

Resumo

Este artigo discute uma das expressões da governança neoliberal que, no caso brasileiro, se manifesta, dentre outras formas, a partir do chamado “investimento social privado”. Trata-se de um conjunto de ações, de caráter gerencial, conduzido por empresas e/ou suas fundações na região onde operam suas atividades, e que visa a ampliar sua hegemonia a partir da valorização de suas imagens, ao mesmo tempo que elas despolitizam e subtraem, das sociedades locais, sua capacidade participativa e transformadora. Com base no conceito de hegemonia de Antonio Gramsci e utilizando os relatórios de sustentabilidade disponibilizados nos sites de empresas minerárias que atuam no vetor sudeste da Região Metropolitana de Belo Horizonte, interessa-nos aqui reunir elementos que permitam identificar mais essa particularidade da “governança neoliberal”.

Publicado

2022-05-22