Coleta seletiva na cidade de São Paulo: serviços públicos urbanos sob a lógica neoliberal

Autores

  • Gustavo Setsuo Hidaka Universidade de São Paulo, Instituto de Energia e Ambiente, Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental. São Paulo, SP/Brasil. https://orcid.org/0000-0002-4063-1275
  • Sylmara Lopes Francelino Gonçalves-Dias Universidade de São Paulo, Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Programa de Pós-Graduação em Sustentabilidade. São Paulo, SP/Brasil. https://orcid.org/0000-0001-6326-2129

DOI:

https://doi.org/10.1590/2236-9996.2022-5514

Palavras-chave:

Neoliberalismo, Coleta seletiva, Serviço Público Urbano, Lógica Institucional

Resumo

É objetivo deste trabalho analisar a influência da lógica neoliberal no programa municipal de coleta seletiva paulistano. O trabalho analisou um conjunto de audiências públicas e eventos relacionados que discutiam a gestão de resíduos em São Paulo, de forma a entender os discursos, as visões e as ações empreendidas pelos atores que compõem esse sistema. O que se percebe é que a lógica neoliberal está presente na agenda programática de todas as gestões municipais paulistanas desde o início do programa de coleta seletiva, sejam elas de centro-direita ou de centro-esquerda. A consequênci disso é a tendência a escolhas tecnocráticas que, sob os argumentos de “modernidade” e da necessidade de “soluções tecnológicas”, acabam sendo centralizadoras em tecnologia, excludentes e ineficientes.

Publicado

2022-08-22