O agronegócio e o urbano: migrantes internos e internacionais no Oeste Paulista

Autores

  • Natália Belmonte Demétrio Universidade Estadual de Campinas, Núcleo de Estudos de População "Elza Berquó". Campinas, SP/ Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0954-6993
  • Rosana Baeninger Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós- -Graduação em Demografia, Programa de Pós-Graduação em Sociologia. Campinas, SP/Brasil. https://orcid.org/0000-0002-3817-2807

DOI:

https://doi.org/10.1590/2236-9996.2023-5614

Palavras-chave:

migração interna, migração internacional, urbanização, agronegócio

Resumo

A expansão do agronegócio desenha um novo mapa do Brasil. No noroeste paulista, vantagens competitivas associadas a questões institucionais e geográficas têm atraído vultuosos investimentos privados em três segmentos principais: sucroenergético, piscicultura e frigoríficos. Este trabalho tem por objetivo analisar trajetórias migratórias que perpassam esses setores, de modo a elucidar as novas articulações tecidas entre os municípios da região com o resto do País e do mundo, por ação desses capitais. Em termos metodológicos, entrevistas semiestruturadas com trabalhadores dos segmentos selecionados subsidiaram a construção de trajetórias migratórias representativas dessas novas hierarquias socioespaciais. Essas informações apontam transformações significativas na referida região, polarizada não apenas pelos tradicionais centros urbanos regionais, mas também por localidades importantes do agronegócio.

Referências

ABRAMOVAY, R. Funções e medidas da ruralidade no desenvolvimento contemporâneo. Texto para discussão nº 702. IPEA: Rio de Janeiro, p.1-31, 2000

ARAÚJO, T. B. de. Ensaios sobre o desenvolvimento brasileiro: heranças e urgências. Rio de Janeiro: Revan, 2000.

AURÉLIO NETO, O. A Estratégia de Internacionalização de Empresas Brasileiras do Setor Frigorífico: os casos da JBS e da Minerva. Boletim Goiano de Geografia, 39, 1-25, 2019.

BAENINGER, R. Região, Metrópole e Interior: espaços ganhadores e espaços perdedores nas migrações recentes no Brasil – 1980/1996. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas, 234p. Campinas, SP, Brasil, 1999.

BAENINGER, R. Regiões e cidades no eixo da Hidrovia Tiête-Paraná. TEXTOS NEPO 48, 2004.

BAENINGER, R. Fases e Faces da Migração em São Paulo. Campinas: Núcleo de Estudos de População - NEPO/UNICAMP, 2012

BAENINGER, R., OJIMA, R. Novas territorialidades e a sociedade de risco: evidências empíricas e desafios teóricos para a compreensão dos novos espaços da migração. Papeles de Población, 141-154, 2008.

BALÁN, J. Migrações e desenvolvimento capitalista no Brasil: ensaio de interpretação histórico-comparativa. Estudos CEBRAP, São Paulo, n.5, 1973.

BINI, D. L. Mudanças na pecuária de corte e algumas implicações sócio-espaciais na Região de Araçatuba (SP). Revista Formação, 2(16), 26-36, 2010

BRANDÃO, C. Território e desenvolvimento: as múltiplas escalas entre o local e o global. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

BRITO, F. A transição para um novo padrão migratório no Brasil. Textos para Discussão 526, 2015.

CANALES, A. I.; CANALES, M. C. De la metropolización a las agropólis: el nuevo poblamiento urbano en el Chile actual. Polis, 12, 31-56, 2013.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

CASTILLO, R. Dinâmicas recentes do setor sucroenergético no Brasil: competitividade regional e expansão para o Bioma Cerrado. GEOgraphia, 95-119, 2015.

CASTILLO, R. A., & Frederico, S. Espaço geográfico, produção e movimento: uma reflexão sobre o conceito de circuito espacial produtivo. Sociedade & Natureza, 22, pp. 461-474, 2011.

CHAIA, V. L. Os conflitos de arrendatários em Santa Fé do Sul - SP.: 1959-1969. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil, 1981.

CORRÊA, D. S. Fusões e aquisições nos segmentos carne bovina, óleo de soja e sucroalcooleiro (1992-2010). Tese (Doutorado). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo. São Paulo, 2012.

CUNHA, J. M. Migração e urbanização no Brasil: alguns desafios metodológicos para análise. São Paulo em Perspectiva, 3-20, 2005.

CUNHA, J. M. A migração interna no Brasil nos últimos cinquenta anos: (des)continuidades e rupturas. In ARRETCHE, M. Trajetórias das desigualdades: como o Brasil mudou nos últimos cinquenta anos. São Paulo: Editora UNESP, CEM, pp.249-307, 2015.

DELGADO, G. Mudança técnica na agricultura, constituição do complexo agroindustrial e política tecnológica recente. Cadernos de Ciência & Tecnologia, 79-97, 1985.

DEMÉTRIO, N. B. Dinâmicas regionais do agronegócio globalizado e migração: evidências do caso brasileiro. In: IX Congreso de la Asociación Latinoamericana de Poblacion (ALAP). Congresso realizado de forma virtual, entre 9 e 11 de dezembro de 2020.

ELIAS, D. Globalização e Agricultura. São Paulo: EdUSP, 2003.

ELIAS, D. A Pesquisa, os mecanismos de interação e a coletânea. In: ELIAS, D.; PEQUENO, R. (Orgs). Tendências da Urbanização Brasileira: Novas Dinâmicas de estruturação urbano-regional. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2018.

GIDDENS, A. As Consequências da Modernidade. São Paulo: Editora da UNESP, 1991.

GLICK SCHILLER, G. Beyond the Nation-State and Its Units of Analysis: Towards a New Research Agenda for Migration Studies. Essentials of Migration Theory. Working Papers – Center on Migration, Citizenship and Development. Bielefeld: COMCAD, 2007.

GONÇALVES, M. F. As engrenagens da locomotiva: ensaio sobre a formação urbana paulista. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas. Campinas, SP, Brasil, 1998.

GRAS, C.; HERNÁNDEZ, V. El Agro Como Negocio: Producción, Sociedad y Territorios en la Globalización. Buenos Aires: Biblos, 2013.

HARVEY, D. Condição Pós-Moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Edições Loyola, 1992.

HEYMAN, J. (2012). Constucción y suo de tipologías: movilidad geográfica desigual en la frontera México-Estados Unidos. In: ARIZA, M.; VELASCO, L. Métodos cualitativos y su aplicación empírica: por los caminos de la investigación sobre migración internacional. México: UNAM, Instituto de Investigaciones Sociales; El Colegio de la Frontera Norte, pp.419-454, 2012.

IANNI, O. A Era do Globalismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

KALEMKARIAN, M.; APARICIO, C. A. Onde a indústria se fortalece no Estado de São Paulo. 1ª Análise SEADE, pp. 1-21, 2013.

LIMONAD, E. Brasil século XXI, regionalizar para que? Para quem? In: LIMONAD, E.; HAESBAERT, R.; MOREIRA, R. (org.) Brasil século XXI: Por uma regionalização? Processos, Escalas, Agentes. São Paulo: Max Limonad, 2004.

LIMONAD, E. Novidades na urbanização brasileira? In: ELIAS, D.; PEQUENO, R. (Orgs). Tendências da Urbanização Brasileira: Novas Dinâmicas de estruturação urbano-regional. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2018.

MAGALHÃES, L. F. A imigração haitiana em Santa Catarina: perfil sociodemográfico do fluxo, contradições da inserção laboral e dependência de remessas no Haiti. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, 355 p. Campinas, SP, 2017.

MAMIGONIAN, A. Notas sobre os frigoríficos do Brasil central pecuário. BOLETIM PAULISTA DE GEOGRAFIA, 7-14, 1976.

MANRIQUE, L. E.El emergente eje ‘Sur-Sur’ global. POLÍTICA EXTERIOR, 104-117, 2012.

MÜLLER, G. A dinâmica da agricultura paulista. São Paulo: SEADE, 1985.

MARTINS, H. J. T. de S. Metodologia qualitativa de pesquisa. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.30, n.2, p. 289-300, maio/ago. 2004.

NEGRI, B.; GONÇALVES, M. F.; CANO, W. O processo de interiorização do desenvolvimento e da urbanização no Estado de São Paulo (1920-1980). In: CANO, W. A interiorização do desenvolvimento econômico no Estado de São Paulo (1920-1980). São Paulo, SP, Brasil: SEADE, pp.5-93, 1988.

NOGUEIRA, S. D. O Sistema Agroindustrial de Tilápias na Região Noroeste do Estado de São Paulo: Características das Transações e Formas de Coordenação. Tese (Doutorado em Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade) - Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Seropédica, RJ, 2008.

OLIVEIRA, R. A. Mobilidade circular de cortadores de cana e divisão espacial do trabalho: expressões regionais na década de 2000. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, 235p., 2012.

PACHECO, C. A. Fragmentação da Nação. Campinas, SP: Unicamp, IE, 1999.

PEREIRA, G. G.; BAENINGER, R. Periferias migrantes: trabalhadores rurais migrantes do. Anais do VII Congreso Latinoamericano de Estudios del Trabajo. Buenos Aires, 2016.

PORTES, A.; GUARNIZO, L.; LANDOLT, P. La globalizacion desde abajo: Transnacionalismo inmigrante y desarrollo, la experiencia de Estados Unidos y America Latina. México: Miguel Angel Porrua, 2003.

RENNER, C. H.; PATARRA, N. L. Migrações. Em M. S. Jair L. F. Santos, Dinâmica da população: teoria, métodos e técnicas de análise. São Paulo: T. A. Queiroz, pp.236-260, 1980.

RIBEIRO, A. C. T. Regionalização: fato e ferramenta. In: LIMONAD, E.; HAESBAERT, R.; MOREIRA, R. (org.) Brasil século XXI: Por uma regionalização? Processos, Escalas, Agentes. São Paulo: Max Limonad, 2004. p. 194-212.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999

RODRIGUES, F. Por onde vão as "Brisas Suaves" do Sertão Paulista?: população e estruturação urbana na constituição da cidade (im)possível: Votuporanga: um estudo de caso. Textos Nepo 51, p. 178p., 2006.

SAMPAIO, M. D. 360º: o périplo do açúcar em direção à macrorregião canavieira do centro-sul do Brasil. Tese de Doutorado. Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo. São Paulo, 2015.

SÁNCHEZ, L. R. Las trayectorias en los estudios de migración: una herramienta para el análisis longitudinal cualitativo. In: ARIZA, M.; L. VELASCO. Métodos cualitativos y su aplicacións empírica: por los caminos de la investigación sobre migración internacional. México: UNAN, Instituto de Investigaciones Sociales; El Colegio de la Frontera Norte, pp.455-494, 2012.

SANTOS, M. Técnica, espaço, tempo (5ª ed.). São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2013.

SASSEN, S. As cidades na economia mundial. São Paulo: Studio Nobel, 1998.

SASSEN, S. Sociologia da Globalização. Porto Alegre: Artmed, 2010.

SCHULTER, E. P.; FILHO, J. E. Evolução da piscicultura no Brasil: diagnóstico e desenvolvimento da cadeia produtiva de tilápia. Textos para Discussão 2328, p. 42p., 2017.

SINGER, P. Migrações internas: considerações teóricas sobre o seu estudo. Em H. Moura, Migração interna: textos selecionados. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil S.A., p.213-244, 1980.

TARTAGLIA, J. D.; OLIVIERA, O. L. Agricultura Paulista e sua Dinâmica Regional (1920-1980. Em W. Cano, A interiorização do desenvolvimento econômico no Estado de São Paulo (1920-1980). São Paulo: SEADE, p.5-93, 1988.

THOMAZ JUNIOR, A. O Agrohidronegócio no Centro das Disputas Territoriais e de Classe no Brasil do Século XXI. Campo-Território: Revista de Geografia Agrária, 5(10), 92-122, 2010.

VASCONCELLOS, M. D.; PIGNATTI, M. G.; PIGNATI, W. A. Emprego e Acidentes de Trabalho na Indústria Frigorífica em Áreas de Expansão do Agronegócio, Mato Grosso, Brasil. Saúde e Sociedade, 18, 662-672, 2009.

VEIGA, J. E. Cidades imaginárias: o Brasil é menos urbano do que se calcula. Campinas: Editora Autores Associados, 2003.

VILLAÇA, F. Espaço Intra-Urbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel/FAPESP: Lincoln Institute, 2001.

WEBER, M. A objetividade do conhecimento na Ciência Social e na Ciência Política. In: WEBER, M. Metodologia das Ciências Sociais. São Paulo: Cortez; Campinas: Editora da Unicamp, 2016.

Downloads

Publicado

2022-12-10

Edição

Seção

Artigos Complementares