A gestão dos bens imóveis da União sob o comando do Exército e a dinâmica espacial em Recife e Olinda

Maria do Carmo de Albuquerque Braga

Resumo


Nos anos 1980, para diminuir os gastos públicos, o patrimônio imobiliário público surgiu como excelente potencial de negócios. Isso induziu à análise da gestão desse patrimônio, considerando que suas características influenciam na configuração espacial das cidades, uma vez que a retenção de uma parte desse patrimônio e a exoneração da outra têm conseqüências na dinâmica espacial urbana. Verificando tal hipótese, utilizaram-se recortes (i) institucional, analisando-se a gestão dos imóveis do Exército, (ii) temporal, considerando-se dois períodos: o primeiro, entre as décadas de 1900 e de 1960, quando da criação e expansão da instituição, e o segundo, a partir da década de 1970, início do processo de degradação de parte desse patrimônio e (iii) espacial, focando-se as cidades do Recife e de Olinda, em virtude dos expressivos processos de inércia e dinâmica espacial instalados.

Palavras-chave


patrimônio imobiliário público; gestão; configuração espacial; inércia espacial; dinâmica espacial.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/8731

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio: