A periferia é o limite: notas sobre a crise do modelo ocidental de urbanização

Autores

  • Elizete Menegat

Palavras-chave:

civilização ocidental, colonização, urbanização, território, crise, metrópole, segregação, ocupações clandestinas, formas de apropriação pública e privada.

Resumo

O objetivo deste trabalho é refletir sobre a face urbana da crise da civilização ocidental contemporânea. Neste quadro, consideramos a gênese e o desenvolvimento do modo de urbanização do Ocidente como um todo estruturado entre centro e periferia. Assim, buscamos compreender os processos de urbanização do Brasil e da América Latina como partes indissociáveis da história da urbanização do mundo ocidental. Consideramos, portanto, que a crise urbana atual alcança a totalidade do Ocidente, muito embora seja na sua periferia que a face mais perversa se apresente. Aqui, nas fronteiras do Ocidente, interpretamos a segregação crescente dos sem-propriedade em áreas clandestinamente ocupadas do território das metrópoles e grandes cidades como expressão dos limites dessa forma e desse conteúdo civilizatório.

Biografia do Autor

Elizete Menegat

Doutora em planejamento urbano e regional na Universidade Federal de Juiz de Fora/MG.

Downloads

Edição

Seção

Artigos