Rota do Cooperativismo: de Rochdale à estratégia negocial competitiva

Álvaro da Cunha Caldeira

Resumo


Este artigo pode ser considerado como continuidade a um artigo anteriormente publicado no no 20 desta revista, que estudou o Cooperativismo como estratégia competitiva para a população de baixa renda e pequenos empreendimentos no Brasil. Desta feita, objetiva analisar o Cooperativismo como estratégia competitiva de negócios a partir de uma de suas vinculações com o universo negocial: a sua presumida inserção na evolução do pensamento administrativo. Com fulcro em conceitos empresariais de geral aceitação, rastreia-se o caminho palmilhado pelo Cooperativismo, de seu nascedouro à atualidade, onde exsurge como importante ferramenta estratégica de negócios. A seguir, estabelecem-se comparações entre as economias das empresas mercantis e as das empresas cooperativas, incluindo-se, também, suas deficiências. O artigo se encerra com um exemplo da versatilidade do Cooperativismo, comentando-se as similaridades entre Cooperativismo e Clusterização.

Palavras-chave


Cooperativismo; ferramentas estratégicas; empresas mercantis; cooperativas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Pensamento & Realidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

e-ISSN: 2237-4418
ISSN Impresso: 1415-5109

Indexado em: