RELATÓRIOS COM RESSALVAS: UM ESTUDO DAS CONTAS MAIS PONTUADAS PELA AUDITORIA NAS COMPANHIAS LISTADAS NA BM&FBOVESPA

Autores

  • Alene Cândido Nascimento Especialista em Auditoria e Controladoria pelo Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ
  • Jaqueline Silva de Siqueira Especialista em Auditoria e Controladoria pelo Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ
  • Vera Lúcia Cruz Doutora em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Potiguar (PPGA/UnP). Professora da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).
  • Luiz Antonio Félix Júnior Doutorando em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Potiguar (PPGA/UnP) Professor do Instituto Federal de Alagoas (IFAL) http://orcid.org/0000-0001-7427-6673
  • Rodrigo José Guerra Leone Doutor em Engenharia de Sistemas e Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Potiguar (PPGA/UnP).

DOI:

https://doi.org/10.23925/2446-9513.2020v7i1p1-15

Palavras-chave:

Auditoria Independente, Parecer de Auditoria, Demonstrações Contábeis.

Resumo

Este estudo teve como objetivo identificar quais as contas mais frequentes nos pareceres da auditoria com ressalvas das companhias listadas na BM&FBovespa. A técnica metodológica utilizada foi a pesquisa documental, por meio de um estudo de caráter descritivo, bibliográfico e com abordagem predominantemente qualitativa. A população abrangeu os pareceres de auditoria das empresas listadas na Bolsa de Valores de São Paulo, no período de 2015 a 2017, sendo a amostra composta por 728 pareceres. Os resultados demonstraram que a conta de Lucros/Prejuízos Acumulados foi a conta mais frequente nos pareceres de auditoria com ressalvas dessas companhias, vindo em seguida, com o mesmo percentual de incidência, as contas de Investimento e de Empréstimos e Financiamentos e, por fim, também com o mesmo percentual cada uma, as contas de Crédito a Receber, Provisões Fiscais e Imobilizado e Intangível. A incidência maior da conta de Lucros/Prejuízos Acumulados nestas empresas, pode trazer implicações no que diz respeito à distribuição de lucros, à destinação de reservas ou ao prejuízo que ela possa ter resultado.

Biografia do Autor

Luiz Antonio Félix Júnior, Doutorando em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Potiguar (PPGA/UnP) Professor do Instituto Federal de Alagoas (IFAL)

Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal da Paraíba (2014), especialização em Docência no Ensino Superior pelo Centro Universitário Senac (2015) e mestrado em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Pernambuco (2015). Atualmente é Professor do ensino básico, técnico e tecnológico do Instituto Federal de Alagoas (IFAL - Campus Benedito Bentes), editor da área de contabilidade e finanças da Revista Gestão e Organizações (ReGOr/IFPB) e membro do Conselho Editorial da Revista Conhecimento Contábil (RCC/UERN/UFERSA), revisor de periódicos e líder do Núcleo de Estudos sobre Organizações, Gestão, Empreendedorismo, Tecnologia e Qualidade (NeoGetq/CNPq/IFAL) e desenvolve estudo de Doutoramento em Administração no Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Potiguar (PPGA/UnP) no qual foi bolsista PROSUP/CAPES/UnP edital n º 01/2018 e atualmente é bolsista PRODOUTORAL/CAPES/IFAL edital nº 08/2018.

Downloads

Publicado

2020-07-19

Edição

Seção

Artigos