Territórios “sagrados” da pesca artesanal em João Pessoa: identidades e sacralização de espaços públicos na Festa de São Pedro Pescador

Gustavo Cesar Ojeda Baez, Dilaine Soares Sampaio

Resumo


Nosso artigo tem como objetivo analisar as estratégias de sacralização dos espaços costeiros vinculadas às festas populares religiosas dos pescadores artesanais de João Pessoa (PB). Em nosso entendimento, tais festas criam novas territorialidades e formas diversificadas de uso para os espaços públicos. Assim, num primeiro momento, caracterizaremos as comunidades tradicionais pesqueiras e suas conexões com as festas populares, atentos para a discussão que envolve o conceito de religiosidade popular. Num segundo momento, nos deteremos à etnografia da Festa de São Pedro Pescador, que envolve duas comunidades pesqueiras. Ao final, pretendemos demonstrar que esses processos de sacralização dos espaços públicos e criação dos territórios pesqueiros constituem estratégias sociais de resistência e reprodução cultural dessas comunidades.


Palavras-chave


Comunidades tradicionais; Pescadores artesanais; Territórios pesqueiros; Religiosidade popular

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1677-1222.2019vol19i3a13

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 REVER - Revista de Estudos da Religião