Kalecki e a Relação Salário - Emprego no Brasil desde Lula a Bolsonaro:

uma nota

Autores

  • Maria de Fátima Garcia
  • Ana Cristina Lima Couto

DOI:

https://doi.org/10.23925/1806-9029.v35i2e60740

Palavras-chave:

Relação salário-emprego, Keynes, Kalecki, Brasil, Anos 2000

Resumo

O artigo apresenta uma análise da relação salário-emprego no Brasil, desde Lula até Bolsonaro, tendo como base o capítulo 08 do livro de Kalecki, onde se tem uma análise crítica da relação salário-emprego tal como preconizada pelos clássicos, elaborando assim a sua própria concepção sobre esta relação de causalidade. Em seguida, apresenta-se uma análise do mercado de trabalho brasileiro para os anos 2000, buscando responder se e até que ponto as políticas econômicas adotadas influenciam nesta dinâmica e na relação salário-emprego. Dentre as considerações finais destacam-se que nos períodos de prevalência das políticas ortodoxas a relação embute uma contradição, dadas as direções opostas assumidas pelos índices de evolução da variável emprego/taxa de desemprego vis-à-vis a variável rendimento real médio. Nos períodos de prevalência de políticas econômicas heterodoxas essa contradição não se verifica, pois as variações dos índices dão-se na mesma direção, indicando a confirmação da relação salário-emprego, conforme sugerida por Kalecki. Também pode-se dizer que essa alternância no caráter da política econômica em que se revezam heterodoxia e ortodoxia revela a disputa em torno da composição final do PIB, em que capitalistas buscam aumentar sua participação nesta composição final vis-à-vis a participação do Estado.

 

Referências

BALTAR, Paulo E. A. Estrutura econômica e emprego urbano na década de 1990. In: PRONI, Marcelo W.; HENRIQUE, Wilnês. Trabalho, Mercado e Sociedade: o Brasil nos anos 1990. São Paulo: Editora UNESP, 2003, p. 107-152.

CACCIAMALI, Maria C.; CHAHAD, José P. Z. Mercado de trabalho no Brasil: novas práticas trabalhistas, negociações coletivas e direitos fundamentais no trabalho. São Paulo: LTr, 2003.

CARDOSO, Adalberto, Efeitos do salário mínimo na dinâmica do emprego formal e informal no Brasil: Construindo hipóteses de investigação. In. REVEST. Rev. Bras. Eco. Soc. Trab. /BJSLE Braz. J. Soc. Lab. Econ., Campinas, v4, e022004, 2022.

Centro das Indústrias do Estado de São Paulo. Pesquisa Levantamento de Conjuntura: série histórica. Disponível em: https://www.ciesp.com.br/pesquisas/pesquisa-levantamento-de-conjuntura-2/. Acesso em: 13 jan. 2023.

DIEESE. Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos. Mercado de Trabalho no Brasil. São Paulo: DIEESE, 2001. Disponível em: http://www.dieese.org.br/esp/mercadodetrabalho.pdf. Acesso em 23/10/09.

DIEESE. Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos. Política de Valorização do Salário Mínimo: Considerações sobre o valor a vigorar a partir de 1º de janeiro de 2010. São Paulo: DIEESE, 2009. Disponível http://www.dieese.org.br/esp/notatec86SALARIOMINIMO2010.pdf. Acesso em 02/01/10.

GARCIA, Maria de Fátima.; ARAÚJO, Eliane.; ARAÚJO, Elisangela.; CASTILHO, Mara L. Emprego, salário e demanda agregada: análise teórica e evidências empíricas para o Brasil e a Europa (1990/2012). In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA DA ANPEC, 41, 2013, Foz do Iguaçu. Anais... Foz do Iguaçu: ANPEC, 2013.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Mensal de Emprego. Disponível em . Acesso em 12/02/2010.

IBGE. Pequisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC). Microdados 2012 e 2021. Disponivel em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/trabalho/9171-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios-continua-mensal.html?=&t=destaques. Acesso em: 20 dez. de 2022.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONOMICA APLICADA. Evolução do mercado de trabalho nos Estados Unidos e Europa em decorrência da crise econômica. Comunicados do Ipea, Brasília, 2012.

IPEA. INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA E APLICADA. A crise internacional e possíveis repercussões: primeiras análises. Comunicado da Presidência, n° 16, janeiro de 2009.

IPEADATA. INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA E APLICADA (Banco de Dados). Disponível em: . Acesso em 21/12/09.

KALECKI, Michal. Crescimento e ciclo das economias capitalistas. São Paulo: Hucitec, 1987. p. 71-101.

KEYNES, J.M. A teoria geral do emprego, do juro e da moeda. São Paulo, Nova Cultural, 1985.

KRUGMAN, Paul. Falling wages syndrome. The New York Times. May, 4, 2009.

KRUGMAN, Paul. The Conscience of a Liberal. The New York Times. December, 16, 2009

MATTOSO, Jorje Eduardo Levi. Transformações recentes e mudanças no mundo do trabalho. In: Economia & Trabalho. Textos Básicos. Marco Antonio Oliveira (org.). Campinas (SP): UNICAMP: I/E, 1998.

Organização Internacional do Trabalho (OIT). Respostas políticas à crise económica: Por um Trabalho Digno na Europa e na Asia Central. Oitava Reunião Regional Europeia, Lisboa. Portugal Fevereiro, 2009. Disponível em www.ilo.org/public/portugue/region/eurpro/lisbon. Acesso em janeiro de 2009.

POCHMANN, Márcio. O emprego na globalização: a nova divisão internacional do trabalho e os caminhos que o Brasil escolheu. São Paulo: Boitempo, 2001.

Sair da crise económica em conjunto. Comissão Européia, março de 2010. Disponível em http://ec.europa.eu/financial-crisis/index_en.htm

SERRA, J. Ciclos e mudanças estruturais na economia brasileira do pós-guerra. In: BELLUZZO, L. G. M.; COUTINHO, R. Desenvolvimento capitalista no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1984.

STIGLITZ, Joseph. A Europa e o Euro caminham para o suicídio. Disponível: HTTP://www.cartamaior.com.br/templates/materiaImprimir.cfm?materia_id=19187 Em 10/12/2011

Downloads

Publicado

2023-01-30