COMO FALAM AS MULHERES LUDOVICENSES: UMA ANÁLISE PROSÓDICA BASEADA EM DADOS AMPER

Brayna Conceição dos Santos CARDOSO, Dinailda dos Santos ALMEIDA, Regina Célia Fernandes CRUZ, Albert Olivier Blaise RILLIARD

Resumo


Este estudo apresenta resultados parciais de um mapeamento geoprosódico da variedade do português falado em São Luís e faz parte das ações do projeto AMPER Amazônia. Para tanto, optou-se em realizar uma análise acústica, a fim de obter indícios físicos que caracterizam a fala de São Luís, em particular são medidas as variações de F0, duração e intensidade, também é verificada a sua atuação na discriminação das modalidades entoacionais declarativa neutra e interrogativa total. Os resultados comprovam que, a F0, apontou movimento ascendente na pretônica e descendente na tônica para as sentenças declarativas neutras e movimento ascendente na tônica para as sentenças interrogativas totais, a duração atestou tempo de produção semelhante entre as modalidades e a intensidade apresentou comportamento irrelevante para distinguir as modalidades entoacionais.

 


Palavras-chave


Análise Prosódica, Variedade Ludovicense, Português Brasileiro, AMPER Amazônia.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Intercâmbio está indexada em:

       

Catálogo de Bibliotecas:

ISSN 2237-759X

A Intercâmbio e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/intercambio. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/intercambio.