Viver próximo à saúde em Belo Horizonte

Renato Cesar Ferreira de Souza, Veneza Berenice de Oliveira, Doralice Barros Pereira, Heloisa Soares de Moura Costa, Waleska Teixeira Caiaffa

Resumo


A definição de unidades espaciais como locus preferencial na prestação do cuidado em saúde é desafiadora quando se buscam modelos assistenciais que reduzam as iniquidades de acesso aos serviços de saúde e os humanizem, integrando dados demográficos, socioeconômicos, culturais e ambientais, configurando localmente os determinantes sociais da saúde. Este estudo introduz uma análise da localização das Unidades Básicas de Saúde (UBS) nos distritos sanitários de Belo Horizonte, comparando as divisões administrativas adotadas com as obtidas pelo teste cartográfico de influência de acesso às UBS. Demonstra-se a potencialidade de investigações futuras sobre o território da cidade na busca de melhores localizações e acesso às UBS, acenando para o enriquecimento do debate sobre os rumos da saúde urbana no Brasil.

Palavras-chave


análise espacial; espaço urbano; saúde urbana; acesso aos serviços de saúde; sistema único de saúde

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/2236-9996.2016-3601

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio: