Explorando as consequências da segregação metropolitana em dois contextos socioespaciais

Luciana Teixeira de Andrade, Jupira Gomes de Mendonça

Resumo


A análise de dois distintos processos de segregação socioespacial presentes na Região Metropolitana de Belo Horizonte busca responder em que medida a homogeneidade ou a heterogeneidade social impactam as oportunidades no mercado de trabalho. Se os dados não nos permitem a determinação de causa e efeito, eles podem indicar algumas hipóteses, tanto contra quanto a favor da tese do efeito território. Ao norte da metrópole observa-se a reprodução da pobreza em município tradicionalmente periférico e homogeneamente pobre. No sul, observa-se a expansão de área de loteamentos fechados, onde a migração dos ricos, que simultaneamente atrai os mais pobres, conforma um contexto mais heterogêneo, ainda que segregado. A questão que permanece é se, em contextos em que a heterogeneidade é marcada pela segmentação e pela polarização social, como na área dos “condomínios”, são possíveis as trocas e a integração social.

Palavras-chave


segregação socioespacial; estrutura de oportunidades; contexto social heterogêneo; periferia; Região Metropolitana de Belo Horizonte

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/5929

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio: