Esquemas de personalidade mais prevalentes em indivíduos que praticaram crimes

Marseilly Carvalho Oliveira Rocha, Nilton S. Formiga, Ederaldo José Lopes

Resumo


Neste estudo propôs-se avaliar a identificação dos esquemas de personalidade mais comuns para tipos de crimes em presidiários. Tomou-se como orientação teórica a abordagem cognitiva, para a qual a personalidade é considerada como sendo formada por valores centrais, desenvolvidos bem cedo na vida dos indivíduos e resultantes de fatores presentes em seu ambiente. Participaram do estudo 244 presidiários, homens e mulheres, do Presídio Professor Jacy de Assis, de Uberlândia- MG, julgados e condenados por crimes diversos; eles responderam a um questionário sócio-demográfico e ao questionário de Esquemas de Personalidade- forma reduzida de Young, o qual avalia os quinze esquemas que se encontram inseridos em cinco grandes domínios: Desconexão e Rejeição, Autonomia e Desempenho Prejudicados, Limites Prejudicados, Orientação para o Outro, Supervigilância e Inibição. As análises foram realizadas por meio do programa SPSS 18.0 e calculadas análises estatísticas descritivas (frequência, porcentagem, média e desvio-padrão). Observou-se que os presidiários pontuaram mais alto nas respostas para o Esquema Autossacrifício e menor média para Defectividade/ Vergonha.


Palavras-chave


esquema personalidade; presidiários; abordagem cognitiva

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais

ISSN Impresso: 1413-4063
ISSN Eletrônico: 2594-3871


Psicologia Revista  está indexada em: