Mulheres e as influências afetivas no adoecimento hipertensivo

Anna Isabel Araujo Vaz, Renata Costa

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo compreender se mulheres hipertensas consideram a influência das vivências pessoais e afetivas no desenvolvimento e na manifestação da Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS). Foi utilizada a entrevista semiestruturada em 12 pacientes internadas com HAS no Hospital Universitário Júlio Müller, que se localiza no município de Cuiabá, Mato Grosso. As entrevistadas eram adultas, com idades entre 40 a 59 anos. Para a sistematização dos dados colhidos foi escolhido o uso do software ALCESTE e o referencial teórico definido foi a Psicanálise. Pôde ser apontado como a história pessoal e vivências emocionais aparentaram influenciar na maneira como as entrevistadas significaram a experiência do adoecimento hipertensivo e dos tratamentos referentes, marcando a importância de uma visão integral do sujeito e da abordagem multiprofissional.

Palavras-chave


Hipertensão arterial sistêmica; Mulher; Psicanálise; Afetividade

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais

ISSN Impresso: 1413-4063
ISSN Eletrônico: 2594-3871


Psicologia Revista  está indexada em: