Uma análise de três gerações em Diário da Queda

Bruna Anselmo Oliveira Balan, Elisabete Ferraz Sanches

Resumo


Em “Luto e melancolia” (Trauer und Melancholie) de 1917, Freud desenvolve sua teoria da melancolia, a qual será posteriormente ampliada em outras obras. Essa inicial concepção de melancolia é produzida comparativamente aos conceitos de luto, narcisismo e mania, daí a possibilidade de examinar, em convergência com esses conceitos, uma obra de ficção que constrói personagens com características muito próximas ao processo de luto e/ou estado de melancolia, sendo necessário considerar o narcisismo na análise proposta. Embora o autor da obra Diário da Queda (2011), Michel Laub, não tenha tido a intenção de escrever um livro ilustrativo da teoria freudiana, a narrativa apresenta as impressões do protagonista, em relação a seu avô e a seu pai, que confluem com as palavras freudianas ao desenvolver a teoria da melancolia em 1915. O presente trabalho buscará, então, uma interpretação possível sobre as questões do protagonista em articulação com a teoria freudiana.

Palavras-chave


luto; melancolia; objeto

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais

ISSN Impresso: 1413-4063
ISSN Eletrônico: 2594-3871


Psicologia Revista  está indexada em: