A indissociabilidade entre as dimensões psíquica e social na constituição psíquica do sujeito

Maria Lucia Vieira Violante

Resumo


Conforme indicado no título deste artigo, nele defendo a “tese” segundo a qual, na constituição psíquica do sujeito, as dimensões psíquica e social são indissociáveis – de acordo com minha leitura, assim como a de outros autores freudianos acerca da obra de Freud. De acordo com Piera Aulagnier, a contribuição mais fundamental da teoria freudiana encontra-se no lugar e função que designa ao desejo: tanto na organização do sujeito psíquico, quanto na do meio social ao qual pertence. Apesar de serem duas organizações regidas por princípios diferentes, do mesmo modo que são os seus objetivos, elas deverão conseguir entrar em acordo, a fim de que sujeito e mundo possam coabitar e continuar a existir um para o outro. O indivíduo não pode renunciar ao desejo, senão ao preço de sua morte psíquica, mas no entanto, deve aceitar os limites de sua realização, em nome da sobrevivência da sociedade à qual reivindica o seu legítimo reconhecimento como um de seus membros. Neste trajeto, que Castoriadis denomina “socialização da psique”, o complexo de Édipo - que é universal, enquanto lei cultural que interdita o desejo incestuoso e o parricida – ocupa lugar central na estruturação do psiquismo e portanto, na orientação do desejo humano.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais

ISSN Impresso: 1413-4063
ISSN Eletrônico: 2594-3871


Psicologia Revista  está indexada em: