A CIENTIFICIDADE DA ADMINISTRAÇÃO EM DEBATE

Marinês Taffarel, Eduardo Damião da Silva, Eduardo Damião da Silva

Resumo


Neste artigo, busca-se apresentar uma discussão sobre a cientificidade da Administração, por ser essa uma questão ainda inconclusa no meio acadêmico. Para tanto, são apresentadas as principais razões destacadas na academia para a Administração ser classificada como ciência ou como prática. Posteriormente, com base na filosofia da ciência, buscam-se fundamentos sobre os critérios de demarcação científica, com o objetivo de verificar se a Administração pode ser considerada uma ciência, por meio de tais critérios e da observância dos princípios e das leis que a regem. Os resultados da discussão indicam que as principais razões para alguns autores não reconhecerem a cientificidade da Administração são pautadas especialmente nos argumentos de que constitui apenas uma aplicação de outras ciências, suas teorias são vagas e de pouca aplicabilidade e o ensino é voltado somente à prática. Por outro lado, as razões de a administração ser considerada uma ciência são especialmente fundamentadas na filosofia da ciência e nos critérios de demarcação científica: possibilidade de formular enunciados "Se, então”, ser livre de juízos de valor, estabelecer declarações ou assertivas válidas no tempo e no espaço, atender aos critérios de objetividade e falseabilidade, possuindo, portanto: objetivo, função e objeto.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.20946/rad.v15i3.13098

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Flag Counter

Revista Administração em Diálogo - RAD
ISSN: 2178-0080

     

 

Apoio: