A unidade da alma com o corpo em Tomás de Aquino

Monica von Oertzen

Resumo


Entre a tendência espiritualista, que se caracteriza em ver o homem como alma racional e o corpo como cárcere desta, e a tendência materialista de ver o homem como corpo, a antropologia tomista concebe o homem através da unidade substancial entre a alma e o corpo. Tomás de Aquino, dentro de uma análise ontológica do real sensível, estabelece, a partir desta unidade substancial, a possibilidade de observar o movimento exterior do corpo como gesto da alma, onde a sua estrutura profunda, sensações, desejos, sentimentos, memórias e pensamentos estão entretecidos e refletidos no modo de agir deste. O ser inteligível na existência sensível.

Palavras-chave


Alma espiritual; Corpo sensível; Ser humano

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A REVELETEO está indexada em:

Presente nas seguintes Bibliotecas: