TEORIAS DO DESEMPREGO: DEBATES CONTEMPORÂNEOS

Marcelo Weishaupt Proni

Resumo


O debate sobre o desemprego reflete diferentes pontos de vista sobre a dinâmica da economia capitalista e o funcionamento do mercado de trabalho. No último quarto do século XX, alteraram-se os termos do debate, conforme as principais escolas de pensamento econômico revisavam seus enfoques. O objetivo do texto é apresentar as principais teorias sobre as causas do desemprego persistente e as políticas recomendadas, identificando os interlocutores mais influentes entre o início dos anos 1980 e o começo da década de 2010. São destacadas as abordagens que renovaram o debate quando o desemprego voltou a ser um problema crônico, contrastando a análise microeconômica com a macroeconômica e realçando o impacto da inovação tecnológica ou da adoção de políticas neoliberais. As teorias de inspiração neoclássica formuladas pelo mainstream econômico tenderam a priorizar políticas centradas em combater a rigidez do mercado de trabalho, enquanto o enfoque pós-keynesiano procurou identificar os processos mais gerais responsáveis pelo agravamento do problema crônico do desemprego numa ordem econômica guiada pela lógica financeira. Ao final, a apresentação do atual “estado da arte” busca estimular reflexões sobre o desafio de alcançar e manter o pleno emprego na economia contemporânea.

Palavras-chave


desemprego; pleno emprego; economia do trabalho.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores:

Nacionais:

pesquisa & debate


Internacionais: