Emprego do modelo rotação por estação para o ensino de língua portuguesa

Maria Izabel Oliveira, Lucila Pesce

Resumo


O chamado mundo digital modificou de forma profunda e abrangente as relações sociais e os modos de produção. No entanto, grande parte das escolas públicas brasileiras permanece apartada desse processo, amparada em estratégias didáticas com pouco ou sem qualquer uso das tecnologias digitais, seja pela escassez de aparatos tecnológicos, seja pela carência de metodologias que as incorporem de forma significativa à construção do conhecimento dos estudantes. Este artigo analisa a implementação do ensino híbrido, por meio da aplicação da metodologia rotação por estações, na disciplina de língua portuguesa, junto a alunos do 3º ano do ensino médio de uma escola pública estadual de São Paulo. Por se tratar de um pré-teste foi realizada uma pesquisa exploratória de caráter qualitativo, mediante revisão de literatura e observação participante, com entrevistas semiestruturadas e aplicação de questionários junto aos estudantes, bem como análise de aplicações práticas. Buscou-se compreender os impactos da inserção das tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) aliadas a uma abordagem pedagógica colaborativa e dialógica, no processo de aprendizagem dos alunos.

Palavras-chave: Ensino híbrido. Rotação por estações. Ensino de língua portuguesa. Pesquisa exploratória.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.