Edição Atual

n. 24 (2021): Antropoceno e a crise do antropocentrismo
					Visualizar n. 24 (2021): Antropoceno e a crise do antropocentrismo

O antropocentrismo tem sido posto em xeque no campo dos estudos culturais e antropológicos com bastante vigor, principalmente com a crise que se instaurou a partir dos anos 1960, que tem como eixo a representação da alteridade e da autenticidade nos estudos etnográficos, como apontam James Clifford e George Marcus em Writing Culture Debates (1986). Com efeito, o pós-1968 lançou nova luz sobre a maneira de se falar de outros povos, outras existências, e refletir as diferenças que o humanismo até então deixou de fora.

Publicado: 2022-03-09

Edição completa

Extra Dossiê

Ver Todas as Edições

A TECCOGS buscou implementar um periódico coerente com a natureza interdisciplinar do Programa de Estudos Pós-Graduados em Tecnologias da Inteligência e Design Digital (TIDD), da PUC-SP. O programa estava ligado a um curso de graduação, também interdisciplinarmente constituído, pioneiro no Brasil, de Tecnologia e Mídias Digitais, na sua versão atual convertido em uma graduação em Design de Interface. Assim, desde a graduação até a pós-graduação, hoje com seus programas de doutorado e pós-doutorado em funcionamento, voltado para as interfaces, complementaridades, convergências e contradições dos seres humanos com as máquinas inteligentes, dispositivos e ferramentas digitais tanto a nível científico, quanto estético e técnico. O programa de TIDD busca habilitar seus formandos a compreender e agir diante de uma realidade biomaquínica que reclama por fundamentações e pontos de vista transtecnológicos.

O que o programa visa formar são analistas simbólicos que, tomando suas bases no conhecimento computacional, sejam capazes de desenvolver reflexões teóricas sobre o papel das tecnologias cognitivas, tecnologias estas com aplicações na aprendizagem que, por sua vez, depende de designs de interface com conteúdo midiático e interação adequados.

A novidade do TIDD encontra-se na intersecção não apenas da computação e informação com a educação, ou da engenharia com a gestão do conhecimento, mas na inclusão, dentro dessas intersecções, do design de interface e do pensamento sobre as linguagens híbridas das redes, ou seja, sua novidade encontra-se na atenção que dispensa aos espaços interativos nos quais a inteligência maquínica e a biológica se encontram.

Winfried Nöth (Diretor científico da TECCOGS)