A FORMAÇÃO DE PALAVRAS A PARTIR DE SIGLAS E ACRÔNIMOS ESTRANGEIROS NA LÍNGUA PORTUGUESA

Alexandre António Timbane

Resumo


O presente artigo é uma reflexão sobre o uso de acrônimos e de siglas estrangeiras como palavras na língua portuguesa falada no Brasil. Será que os falantes usam as siglas e acrônimos conscientes de que são tais? A hipótese é a de que se perde a noção de acrônimo/sigla e se passa a usar como palavra. O objetivo da pesquisa é de identificar as siglas e os acrônimos do inglês mais frequentes no português; explicar o aportuguesamento e integração na língua. Constata-se o uso crescente de siglas e de acrônimos vindos principalmente do inglês na fala/escrita cotidiana. Usando um questionário de cinco perguntas do tipo fechando inquiriu-se 30 falantes residentes na cidade de Araraquara-SP. Da pesquisa, constata-se que há uma estabilização linguística dessas siglas/acrônimos e que estes são usados como palavras, esquecendo até do significado da cada uma das letras ou sílabas. O nível de escolaridade, a localização geográfica e tipo de profissão ditam o uso ou não das siglas, sendo a maior parte das siglas vindas da área da informática e das novas tecnologias.


Palavras-chave


Estrangeirismos; Siglas e Acrônimos; Palavras; Língua portuguesa

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




     INDEXADORES: