A ARGUMENTATIVIDADE E OS PRINCÍPIOS TEXTUAIS: INTENCIONALIDADE E ACEITABILIDADE

Maria Helena Corrêa da Silva Matei

Resumo


Considerando que a argumentatividade de um discurso, na maior parte das vezes, apresenta-se de um modo implícito, este artigo propõe um tipo de leitura em que a intencionalidade e a aceitabilidade são princípios pressupostos no processo de argumentar. Sendo assim, quem constrói argumentos visa adesão de seu interlocutor que, por seu turno, tem a liberdade de aceitá-los ou refutá-los. Este trabalho justifica-se pelo fato de que entendendo a argumentatividade que subjaz um determinado texto, torna-se mais clara a intenção do autor. Para tanto, considerar-se-á o conceito de texto preconizado por Beaugrande (1997) e a concepção de organização da lógica argumentativa proposta por Charaudeau (2010). No primeiro, não só os conhecimentos linguísticos, mas também os cognitivos e sociais convergem no momento de interação. No segundo, os três elementos de base da relação lógica argumentativa, quais sejam: a) asserção de partida [dado, premissa]; b) asserção de chegada [conclusão, resultado]; e c) asserção de passagem [inferência(s), prova(s), argumento(s)] compõem a argumentatividade de um texto. Por meio da análise da argumentatividade do texto Arte de Ser Feliz, de Cecília Meireles, pode-se inferir que a autora usa de mecanismos argumentativos, pautados em sua autoridade de escritora, para conseguir a adesão do leitor no que diz respeito ao conceito de felicidade.


Palavras-chave


argumentatividade, intencionalidade, aceitabilidade.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




     INDEXADORES: