A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES COMO UM PROCESSO DE AUTOCRÍTICA

Marcio Jean Fialho Sousa, Maria Antonieta Alba Celani

Resumo


Ainda que tradicionalmente, a formação docente tem sido vista como um exercício de aprender teorias ou como um processo de subjetivação externo. O processo de autoconhecimento apresentado por Michel Foucault, no entanto, é um desafio a se pensar nos processos formativos como sendo uma construção autônoma de si, por meio de resultados de jogos de poder e de saber, nos quais vão se construindo social e coletivamente. Sendo assim, a proposta deste artigo é discutir como o processo de formação continuada de professores pode ser um aliado positivo em sua prática docente e como o exercício da escrita autobiográfica pode ser um instrumento eficaz para a formação da consciência autocrítica dos professores de língua estrangeira moderna. Em nosso estudo, a proposta é utilizar-se das estratégias da escrita memorialística como instrumento de exercício da autocrítica e consequente formação profissional.


Palavras-chave


formação; autocrítica; reflexão; desafios

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




     INDEXADORES: